PERCEPÇÃO: A IMPORTÂNCIA DE TER CONSCIÊNCIA DA SUA EXISTÊNCIA

Por: Michaell Lange

Londres, 18/04/18 –

Nosso mundo é determinado pelo modo como nossos sensores naturais captam o que acontece a nossa volta. Nossa capacidade de ver, ouvir, sentir, e perceber as coisas, é chamada de percepção. É a percepção que guia nossas decisões diárias, seja as decisões mais simples como experimentar uma comida nova por conta do cheiro, ou eleger um presidente da república por conta do que sentimos. Porém, se nossas percepções forem errôneas ou manipuladas por constantes ataques de forças externas (propaganda), isso significa que estamos tomando decisões erradas.

O tema percepção é tão abrangente e presente em nossas vidas que para fazer justiça a causa teríamos que ficar aqui falando sobre isso para sempre. Por isso, ficaremos com exemplos bem básicos, porém não menos importantes, sobre a importância de termos consciência e controle das nossas percepções.

Nossa percepção por tanto, é alvo constante de investidas positivas e negativas de pessoas e empresas (forças externas) que desejam nos convencer de algo que não necessariamente, sejam de nosso interesse e benefício. Todos os dias somos bombardeados por propagandas tentando nos vender algo que muitas vezes não precisamos. O vendedor sabe que se ele conseguir mudar nossa percepção, ele pode estar criando uma necessidade que até então não existia, e é essa mudança de percepção que irá nos convencer a comprar algo que não precisamos. Nesse caso, a melhor forma de defesa é o questionamento. Sera que realmente preciso comprar isso? Minha esposa costumava chegar em casa com coisas que de fato, não precisávamos. Quando questionada, ela dizia: “Estava na promoção!” ou seja, a percepção de um preço baixo a convenceu de comprar algo que não precisávamos. Esse é um exemplo simples e inocente de como nossas percepções podem ser manipuladas por forças externas. Afinal, quem nunca se rendeu ao poder sedutor de um chocolate? Mas, há outros exemplos mais graves e com consequências mais sérias e duradouras.

A mídia, seja televisiva, de radio, impressa ou eletrônica, tem um poder incalculável de convencer pessoas (desavisadas) de coisas totalmente inacreditáveis. Quando um candidato político faz campanha para ser eleito a um cargo público, seus “marketeiros” usam de meios absurdos para convencer o eleitorado. O uso de celebridades como atores de novelas, cantores e outros artistas em propaganda política é largamente explorado por conta da sua eficiência. Pode parecer surreal, mas ainda há pessoas que são convencidas a votar em um determinado candidato apenas porque seu jogador de futebol favorito declarou apoio a ele, por exemplo. Sera que nós, eleitores, não deveríamos decidir nosso voto de acordo com o histórico do candidato, sua proposta de governo, os custos e a viabilidade da sua proposta, e jamais votar em alguém apenas porque o Pablo Vittar ou o Neimar declaram apoio a ele/ela? A manipulação da percepção do eleitor nesse caso, tem consequências graves e duradouras no futuro do nosso país e no bem estar dos nossos cidadãos.

Tenha o controle da sua percepção!

Sempre que alguém tentar lhe vender algo, pergunte-se: Sera que realmente preciso disso? Sera que devo comprar apenas porque esta na promoção? Questionar, é uma ferramenta extremamente poderosa e pode nos salvar de verdadeiras enrascadas. O questionamento é um regulador natural da nossa percepção e nos permite ter mais controle sobre nossos sensores perceptivos.

Teste: Quando você ouve falar de um país como por exemplo, Cuba, EUA, Russia, Inglaterra, França. Qual é a sua percepção com relação a estes países? Se você nunca visitou estes lugares pessoalmente, o que ou quem lhe convenceu de ter esta percepção? Sera que a sua percepção esta mesmo de acordo com a realidade destes países? O mesmo vale para pessoas, empresas e outras organizações. Lembre-se sempre que as suas decisões diárias são baseadas nas suas percepções, e se você não tem o controle das suas percepções, isso significa que alguém esta tomando decisões por você.

 

 

 

William Waack E O Jornalismo Pobre, Negativo E Tendencioso

By: Michaell Lange.

London, 28/08/15 –

William Waack‬ da Rede Globo, assim como outros jornalistas de outras emissoras de TV e Radio, deveriam assumir suas responsabilidades de informar a população com jornalismo responsável e imparcial. Infelizmente, as grandes agencias de noticia do Brasil resolveram entrar na guerra política do país e promover exemplos dignos de vergonha a todos os jornalistas que cumprem seu papel e sua responsabilidade de informar o país de forma justa e correta.
Na matéria do Jornal da Globo (veja o video abaixo) o apresentador William Waack, começa com uma brincadeira, pedindo aos pais que “tirem as crianças da sala”, como se ele fosse mostrar cenas fortes, algo que a Rede Globo não faz nem quando precisa fazer de verdade. Basta observar o nível de exposição pornográfico na programação livre das novelas e programas de auditório. Em seguida ele vai comparando o superavit de R$15bi nas contas publicas do ano passado e o deficit de R$9bi no primeiro semestre deste ano. O interessante é que o Superavit do ano passado não foi reconhecido ou aplaudido por ele que agora, maximiza a importância de um deficit semestral de R$9bi que representa apenas 0,27% do PIB Brasileiro, enquanto países em reais dificuldades como Espanha, Grécia e Portugal chegam a apresentam deficits superiores a 100% do PIB. No Brasil, Lilian Witfibe, outra jornalista consagrada nacionalmente, afirma que a atual crise Brasileira é a maior desde Deodoro da Fonseca, primeiro presidente do Brasil em 1891. Waack também prefere não falar nada sobre a queda de 0,7% nas despesas publicas. Na sequência ele acusa o governo de querer botar a mão no bolso do contribuinte, como isso nunca tivesse acontecido. Segundo ele, o governo esta querendo re-introduzir a CPMF – Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira –  que por sinal foi uma emenda constitucional de numero 12, introduzida em Agosto de 1996 durante o governo de FHC e abolida em 2007 durante o governo Lula, depois de votação polemica no congresso nacional que na época, rejeitou a proposta do então presidente Lula de prorrogar o fim da CPMF até 2011 com a proposta de destinar 100% da arrecadação a Saúde. William Waack nunca se preocupou em questionar no JG, quem pagou pelos empréstimos do FMI – Fundo Monetário Internacional – feitos  por FHC para evitar a falência do Brasil nos anos 90.
Na continuação da reportagem, William Waack mostra uma noticia do Financial Times dizendo que o preço do Barril de petróleo teve o maior aumento desde 2008. A informação que William Waack omite da sua audiência, é que esse aumento representa apenas uma fração dentro de processo de queda de preço que ja dura quase dois anos e levou o preço do Barril do petróleo a cair de $100 Dólares em 2014 para pouco mais de $35 Dólares esta semana. veja o gráfico da NASDAQ -(http://www.nasdaq.com/markets/crude-oil.aspx). Essa queda no valor do petróleo é resultado da diminuição da demanda mundial do produto e sobretudo por conta da desaceleração da economia Chinesa que chegou a crescer 12% ao ano na ultima década e em 2015 não deve passar dos 7%. O crescimento atual da economia Americana esta baseada em dividas publicas ou seja, o governo lançou medidas que aumentaram os gastos públicos que naturalmente aumentaram a divida púbica Americana que ja passou dos $18tri de dólares. Acompanhe ao vivo no link ao lado usdebtclock.org.
Esse jornalismo apresentado por várias agencias e jornalistas de todo o Brasil precisa acabar. O povo não pode continuar sendo enganado para sempre por um jornalismo tendencioso e pessimista que promove um verdadeiro bombardeio de noticias negativas e que consequentemente colaboram com a crise em que o Brasil esta vivendo nesse momento. 

O mais importante não apenas a critica em si, mas a responsabilidade do Brasileiro de aprender a questionar videos e reportagens excepcionalmente bem produzidas como essa, para que não haja duvidas de sua veracidade. São reportagens produzidas para convencer as pessoas e influenciar na forma de pensar do povo Brasileiro. É possível notar que William Waack usa linguagem coloquial como: “é mole?” e “enfiar a mão no seu bolso”, para criar uma conecção com a população mais simples do país e poder assim, influencia-los mais facilmente.

É importante salientar que a critica feito por este artigo não deve ser visto como um apoio ao atual governo, nem a tentativa de diminuir as irresponsabilidades da atual presidente do Brasil. A crise existe, o Brasileiro esta sofrendo com as políticas de reajuste e a presidente tem demonstrado incapacidade de controlar e resolver os problemas mais sérios do país. A critica deste artigo porem, esta direcionada ao jornalismo irresponsável e tendencioso promovido por vários meios de comunicação do país incluindo os que apoiam o governo e que em nada beneficia o cidadão ou a atual situação política/econômica que estamos vivendo. Fica o alerta aos Brasileiros sobre a importância de questionar nossas autoridades e as pessoas que dizem capacitadas de informar a população de forma justa e correta. O Brasil só ira mudar quando o Brasileiro entender que o Brasil é você.