POLÍTICOS: OS GRANDES EXTERMINADORES DO POVO BRASILEIRO

By: Michaell Lange,

London, 11/04/17 –

A lava jato tem quatro personagens distintos. Dos quatro, apenas um é vítima, o povo Brasileiro. Dos outros três, um é a justiça parcialmente corrompida, os outros dois são cúmplices de crime grave contra a nação Brasileira, parte do setor privado e o estado. O estado aqui, se divide em oposição e situação que juntos, formam a facção criminosa que saqueia e mata diariamente. Partidos da esquerda, de direita e centro, como o PMDB, PSDB, PT, PP e dezenas de outros, que trabalharam em conjunto para roubar o país das suas riquezas, oportunidades futuras e de sua própria vida. A gravidade desse crime é infinitamente superior ao crime de rua ou o crime de violência causada na maioria dos casos, pelo narcotráfico, que acredita-se estar também envolto ao governo. O crime praticado por grandes empresas privadas em conluio com o governo eleito para administrar o bem público e zelar pelas instituições e atribuições do Brasil, é infinitamente superior ao crime de traição a patria, o qual muitos países ainda punem com a pena capital. O crime praticado por estes barões da política nacional e da economia Brasileira, é um genocídio contínuo e não declarado que ja matou milhões de cidadãos Brasileiros de forma direta e indireta. Esse extermínio sistêmico do povo Brasileiro é promovido diariamente pela falta de medicamentos básicos em hospitais e postos de saúde, pela falta de tratamentos de doenças graves, pela falta de hospitais, de médicos, de infra-estrutura nas cidades e estradas, e sobretudo, de fome. O Governo Brasileiro em conjunto com empresas privadas, mataram e matam, centenas de milhares de crianças Brasileiras de fome, de desnutrição e doenças curáveis. Outros milhões morreram e morrem nas filas dos hospitais esperando atendimento, ou aguardando tratamentos essenciais. Tudo isso para que algumas centenas de políticos e empresários possam desfrutar de contas bancarias com saldos bilionários no exterior.

Estes assassinos, massacram o povo Brasileiro de uma forma tão monstruosa e sistêmica que fazem da comparação, uma missão quase impossível. Hitler, pol pot, Stalin, Mao Zedong e alguns outros, exterminaram milhões. Mas, o governo Brasileiro consegue ser ainda mais cruel. O governo Brasileiro mata o cidadão lentamente nas salas de aula, nos escritórios, nos corredores dos hospitais, dentro do ônibus, dentro de suas casas onde o cidadão perde sua dignidade a medida em que a doença avança, na medida que a fome queima a inocência das nossas crianças, na medida em que a falta de perspectivas do povo se transforma em depressão crônica e mortal adoecendo toda uma nação que é obrigada a trabalhar sem direitos, sem dinheiro, sem saúde, sem educação, sem segurança e sem laser. O governo Brasileiro mata seu povo de humilhação, mata sem dó e sem piedade. O extermínio sistêmico do povo Brasileiro usa dos métodos mais diabólicos e demoníacos porque mata lentamente e propositalmente. A morte vem aos poucos com a gradativa diminuição da capacidade do ser humano de se locomover, de se alimentar, de se tratar. É como uma mão que enforca sua vitima, mas a permite respirar somente o necessário para mante-la viva e assim, continuar sofrendo quase que de forma perpétua até que o corpo, já não mais humano, desista sem que ninguém perceba seu desaparecimento.

Estes assassinos em massa, são políticos e empresários que se dizem pessoas do bem. Se classificam como excelências, doutores e autoridades, se dizem ser até homens de Deus que se permitem o direito de serem seres superiores a todos os outros seres. São Deuses, cuja o poder é tão ou maior do que divino. Se acham superiores as Leis e a própria Constituição Federal. Se acham seres intocáveis. Se dizem perseguidos e injustiçados pelo único fragmento do sistema de justiça que ainda funciona e com muito esforço, consegue acusa-los de uma fração dos crimes que já cometeram contra o povo Brasileiro. São na verdade, monstros e demônios. Vampiros que sugam o sangue e a vida de suas vitimas!

A grande vitima desse crime, o povo Brasileiro, ainda consegue depois de todo o sofrimento, apoiar todas as partes acusadas deste massacre. Esse cenário é possível apenas porque os mesmos políticos e empresários autores desse crime, são também os arquitetos por trás da manutenção da divisão perpétua do povo Brasileiro. Enquanto uma parcela da população defender a direita contra a outra parcela que defende a esquerda e vice-e-versa, não se unirem para juntos apoiarem a justiça, o Brasil seguirá negligente, pobre, injusto, violento, dividido e permanentemente sem futuro. Enquanto o partido dos Brasileiros não for unicamente o Brasil, as vitimas deste crime hediondo, continuarão defendendo a inocência dos criminosos responsáveis pela decadência eterna do Brasil. Seremos como o passarinho engaiolado que defende seu dono por lhe trazer água e comida todos os dias, sem perceber que seu dono é de fato, o responsável por ele estar preso em uma gaiola. Seremos como o Peru votando a favor da ceia de Natal sem perceber que ele é o prato principal. O povo Brasileiro é o único que pode derrubar Brasilia e interromper a promoção sistêmica do massacre do povo Brasileiro. Mas, para que isso aconteça, o Brasileiro precisa se unir em um só povo e um só Brasil como fez em 2013. Quando o Brasil for apenas um, ninguém mais será capaz de derrota-lo, ninguém mais será capaz de extermina-lo. Os políticos e empresários, pensarão duas vezes antes de se deixar levar por sua ilimitada ambição por dinheiro púbico. Brasilia é nosso maior inimigo. Brasilia tem que cair, e levar junto os criminosos genocidas que por tanto tempo exterminam o povo Brasileiro.

 

BRASIL EM ROTA PARA O CAOS TOTAL

By: Michaell Lange,

London, 07/02/17 –

Nota do autor – Quanto menos você acreditar na possibilidade descrita abaixo, maiores são as chances do impossível acontecer. A culpa do caos não é da policia, mas dos governantes Brasileiros que jogaram o país aos tubarões. Mas será também, culpa do povo Brasileiro se permanecermos parados assistindo o caos tomar conta do país inteiro. 

A situação no Brasil é extremamente delicada, mas ainda não é totalmente caótica. A situação na Síria é totalmente caótica. No Brasil, o estado ainda é soberano. mas, a questão é; Até quando? A ausência do poder do estado no Espirito Santo é um indício grave da falência do estado e uma evidência clara de que o Brasil segue na direção do caos total.

A policia (bem ou mal), é a agência governamental que tem como responsabilidade garantir a Lei e a ordem no país. Quando o policiamento cessa, o estado se ausenta e a Constituição Federal é suspensa. O país vira terra de ninguém. Facções criminosas passam a atuar livremente sem qualquer forma de intervenção. A população assustada, cria grupos armados para proteger bairros e residências contra as ações de criminosos que agora, controlam as ruas. O confronto entre criminosos e “vigilantes” é quase inevitável. A desconfiança e a falta de informação intensificam o estado de tensão. A guerra civil não declarada passa a ser uma realidade e contamina estado por estado numa reação em cadeia inevitável seguindo a falência das instituições governamentais que deixam de existir uma após a outra. A situação é rejeitada a todo custo por um governo federal ja enfraquecido e fragmentado. O exército é acionado como o último recurso para manter a ordem, mas sua capacidade e recursos são limitados e insuficientes para manter a ordem em todo o território nacional. Noticias de que facções criminosas dominam importantes cidades do país, geram pânico e confusão em outros estados. Uma fuga em massa para países vizinhos gera tensão nas fronteiras. Outros milhares, de civis, ex-policiais e soldados, se armam e tentam organizar uma resistência contra o avanço  de grupos criminosos que ja controlam equipamentos e armamentos pesados de uso exclusivo das Forças Armadas. A medida em que o número de mortos cresce rapidamente, as noticias começam a chamar a atenção da mídia mundial. Países Europeus e Norte Americanos interrompem vôos para o Brasil enquanto uma comissão do Mercosul estuda formas de intervenção junto a ONU. O número de refugiados Brasileiros vivendo em campos improvisados no Uruguai, Argentina e Chile ja passam dos 10 milhões ao mesmo tempo que a ONU declara situação de catástrofe humanitária em quase toda a America do Sul. EUA e Europa se recusam a receber refugiados Brasileiros e milhares de mulheres e crianças são abandonadas a própria sorte.

Noticias de que grupos armados tomaram Brasilia, se espalham rapidamente nas redes sociais causando pânico generalizado. O total colapso do governo federal se torna inevitável. Presidente, Deputados, Ministros e Senadores que não foram assassinados pelos mais de 300 mil presos foragidos em todo país, se refugiam em Cuba, Venezuela, Miami e Reino Unido. Não se sabe mais ao certo quem são os criminosos e quem são os grupos de vigilantes organizados por ex-policiais e soldados. A falta de mantimentos e água potável nas grandes cidades levam milhões de mulheres e crianças a passarem fome escondidos em prédios abandonados. Fotos de crianças mortas chocam o mundo e milhões vão as ruas dos EUA e Europa pedindo providências da comunidade internacional e o fim da guerra civil no Brasil. ONGs internacionais declaram calamidade nos hospitais do país por falta de tratamentos. Milhares de médicos fogem para os EUA e Austrália e os poucos que permanecem estão sobrecarregados e trabalhando voluntariamente auxiliados por soldados dos grupamentos do corpo de bombeiros e ONGs internacionais.

Em reunião fechada na sede das Nações Unidas em Nova York, uma resolução que autoriza uma força de Paz composta por França, Reino Unido e EUA a entrar no Brasil, é aprovada com unanimidade. A Russia absteve seu voto. Aviões de guerra Americanos decolam de várias bases aéreas na Colombia para bombardear regiões comandadas por facções criminosas no Brasil incluindo a Capital Brasilia, mas a prioridade é na verdade, proteger e reestabelecer a manutenção e o fluxo das reservas minerais do país.

Após fortes bombardeios no centro do Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasilia, centenas de mortes de civis são registrados pela Cruz Vermelha Internacional. Incêndios de grandes proporções e fora de controle destroem os centros das principais capitais estaduais do país. NASA publica fotos da Estação Espacial mostrando enormes colunas de fumaça que tomam os céus do país a vários dias.

Grupos paramilitares dos três estados do Sul declaram independência e fecham a fronteira Norte entre o Paraná e São paulo, mas não escapam dos bombardeios aéreos que destroem o centro das principais cidades juntamente com os aeroportos de Curitiba e Porto Alegre e os portos de Rio Grande e Itajai. Milhares de civis são mortos.

No Nordeste, ONU registra massacres de civis e descobre dezenas de covas coletivas com centenas de corpos incluindo mulheres e crianças. ONU não descarta Genocídio. No Rio de Janeiro, aviões de guerra Franceses, Britânicos e Americanos promovem o maior ataque aéreo desde a queda do governo federal depois que um video foi publicado na Internet onde um bando de criminosos celebravam o assassinato de dois pilotos Americanos que tiveram suas cabeças arrancadas na praia de Copacabana.

Após 3 anos de guerra civil, a infra-estrutura do país esta em frangalhos. Milhões de Brasileiros refugiados continuam a viver em acampamentos administrados pela ONU, e o número de mortos ultrapassam 1 milhão. A coalisão da ONU liderada pelos EUA decide reestabelecer o governo Brasileiro na cidade de Santos no litoral do estado de São paulo, ja que as cidades de Brasilia, Rio e São Paulo foram totalmente devastadas pelos bombardeios Norte Americanos. As reservas de minérios do Brasil passam a ser administradas por empresas Americanas e Européias entre elas a Shell, BP e Chevron e Texaco. Bolsonaro é escolhido pelos Estados Unidos para ser o novo presidente do Brasil e é imediatamente apoiado pelo grupo paramilitar evangélico conhecido como o Exercito de Deus. Milhões celebram nas ruas em todo o Brasil. Mas, a posse de Bolsonaro, é ofuscada por grupos paramilitares de esquerda que não apoiam o regime do novo presidente e se recusam reconhecer Bolsonaro prometendo derruba-lo a força se necessário for.

Após 5 anos, a guerra civil toma nova forma. Agora, as forças nacionais de Bolsonaro lutam contra grupos para-militares em várias frentes nacionais, principalmente no Nordeste do país. A mídia mundial fala em rebeldes contra as forças de Bolsonaro. O novo presidente classifica os grupos rebeldes de terroristas, e em pronunciamento a toda nação promete caçar e destruir todos eles. Os três estados do Sul prometem apoio a Bolsonaro em troca de sua independência e o presidente aceita com relutância.

A guerra civil se extende por mais 10 anos quando finalmente todos os lados entram em acordo de paz. Em 2 de Outubro de 2035 o Brasil elege democraticamente Francisco Lula da Silva e seu vice João de Magalhães Bolsonaro numa disputa acirrada no segundo turno contra Marcos Neves e Maria Bornhausen. Eduardo Cunha Junior é eleito o novo presidente da Camara dos Deputados e Guto Calheiros Sarney é o novo presidente do Senado. No Sul do Brasil, após referendum, Santa Catarina e Paraná voltam a fazer parte do Brasil, mas Rio Grande do Sul vota pelo NÂO e funda a nova República Democrática Tchê Barbaridade É Bem Capaz. Milhões celebram a volta da democracia em todo o Brasil. Em Santa Catarina, o novo governador Jorge Amin da Silveira Junior anuncia a nova fase da reforma da ponte Hercílio Luz. Um dia depois da posse do novo presidente, o autor deste Artigo visivelmente abatido, se suicida com um tiro na cabeça em sua residência no Sudoeste de Londres.

GATO POR LEBRE (política)

By: Michaell Lange,

London, 28/12/16 –

É comum ouvirmos a frase “gato por lebre” no sentido de comprarmos um produto que se parece com aquilo ofertado, mas que na verdade se trata de um produto totalmente diferente. Normalmente, o gato por lebre significa um produto similar, mas de valor e/ou importância muito inferior ao que realmente buscávamos. O mesmo problema ocorre em quase todos os sentidos da vida, incluindo a política. Quantas vezes votamos em gato e elegemos lebre? O rótulo de uma mesma proposta política pode vir com diferentes faces e cores. Na maioria das vezes, trás um apelo direcionado a um grupo específico de pessoas (eleitores clientes). Essa questão também vale para a religião, onde charlatões usam da palavra sagrada para enriquecerem às custas da humildade, do medo, e do drama humano. Mas não é de religião que iremos falar aqui.

O que é importante para todo eleitor e futuro eleitor, é fazer uma boa analise não apenas do rótulo, mas também no produto, antes de compra-lo, elege-lo ou aceita-lo. Antes de decidir, pergunte-se; Será que o rótulo realmente corresponde ao produto? Será que o político realmente corresponde a sua proposta? A propaganda enganosa é um problema epidêmico na política e é preciso muita atenção na hora de escolher nossos representantes.

Você ja se decepcionou com o tamanho do hamburger porque na foto promocional ele parecia muito maior? A verdade é que na maioria dos casos, quando elegemos um político, estamos elegendo gato por lebre. E a culpa pela falta de atenção é toda nossa! Se alguém lhe oferecer uma Mercedes- Benz zero quilômetro pelo preço de um Chevette velho, é claro que você irá desconfiar. A questão é; Por que não desconfiamos quando um político, ou um partido político, nos oferece a salvação e a solução de todos os nossos problemas, em troca do nosso voto? Para ser ainda mais direto, por que elegemos e reelegemos políticos corruptos (gato)? O voto parece ser um produto barato, mas na verdade pode ser mais caro do que você imagina. O voto pode custar seu emprego. Sua aposentadoria, a saúde da sua família e a educação dos seus filhos. Quanto lhe custaria tudo isso? Não vou citar exemplos Brasileiros para não comprometer a imparcialidade deste artigo, apesar dos inúmeros exemplos que poderíamos citar aqui. Então, para minimizar a polêmica do assunto, usaremos exemplos de outros países. Vejamos; na Holanda, Geert Wilders é o líder do partido de extrema direita chamado “Party for Freedom” ou Partido para a Libertação. Você percebe o apelo que o nome do partido promove? Isso não significa que o partido político liderado pelo Sr Wilders irá promover a libertação da Holanda, até porque a Holanda ja é um país livre, além de ser um dos países mais desenvolvidos do mundo. Por tanto, o Party for Freedom é gato, não é lebre. Na França, um dos maiores partidos políticos do país chama-se “The National Front” ou Partido da Frente Nacional. Novamente, um nome apelativo em um país livre e desenvolvido que não sofre com qualquer ameaça de invasão. No Reino Unido, o UKIP – United Kingdom Independence Party – ou Partido da Independência do Reino Unido, é mais um exemplo. O Reino Unido é um país independente e livre, mas na visão do líder do UKIP, Nigel Farage, o país é refém da União Européia, ou seja, pura demagogia. É gato por lebre! O que todos estes partidos tem em comum é o apelo populista para obter o poder. Quando você encontra partidos com nomes apelativos sobretudo em países ricos, livres e desenvolvidos, a libertação e a independência dos nomes estão na verdade, escondendo a intolerância contra imigrantes,, negros e religião. De fato, todos os partidos políticos acima, são anti-imigrantes, anti-EU e anti-Islamismo, o que sugere a teoria do gato por lebre ja que, a liberdade e a independência presente no rótulo, na verdade significam, perseguição, discriminação e proibição, o oposto de liberdade e independência. O rótulo não condiz com o produto e por tanto, é gato.

Vejamos outros exemplos:

O Comunismo – Karl Marx pensou que tinha uma grande idéia que poderia ser a solução para salvar a humanidade das garras do Capitalismo. Para que sua idéia fosse aceita pela maioria do povo, havia a necessidade de um apelo populista ou seja, que fosse aceito pela classe operária. O rótulo para o seu produto também precisava ser apelativo, mesmo que na realidade o rótulo não descrevesse com honestidade seu produto. Karl Marx escolheu chama-lo de Comunismo. Na concepção da palavra, comunismo origina-se do comum ou seja, que beneficia a maioria. Por isso, quando ouvimos alguém falar em “governar pelo bem comum”, estamos falando na verdade, do comun-ismo ou comunismo, de governar pelo bem de todos. Mas o Comunismo de Marx não era bem isso. Vejamos: Quando Marx dizia em seus escritos que toda forma de produção deve estar sob o controle do estado, Marx não esta falando de comunismo, mas sim de totalitarismo. A palavra totalitarismo tem origem na palavra total, que na política se refere ao controle total, seja por um ditador, imperador ou Rei. Por tanto, regimes como o de Cuba e Coreia do Norte, não são sistemas Comunista, mas sim de totalitaristas. O estado e seu ditador, tem o controle total do país. Mas vale ressaltar que a teoria de Marx não é uma teoria inútil, muito pelo contrário. Na verdade, Marx é essencial para qualquer estudante de política e relações internacionais. Ninguém até hoje soube descrever o Capitalismo de forma tão brilhante e detalhada quanto Marx. Seus trabalhos, sobretudo os livros “O Capital” e “O Manifesto Comunista”, deveriam ser lidos por todos que tenham qualquer interesse em entender como funcionam os sistemas políticos que dominam o mundo hoje.

O Free Market – A palavra free market significa mercado livre ou seja, sem barreiras e sem regulamentação. A idéia por trás do nome é justa pois, promove a livre concorrência. A concorrência beneficia o consumidor com preços baixos e de qualidade. Mas não é isso que vimos acontecer mundo afora. De fato, o free market não existe. Essa teoria foi usada estrategicamente contra países emergentes para que multinacionais, sobretudo da Europa e EUA, tivessem livre acesso a seus mercados. Por outro lado, empresas de países emergentes, encontram todo tipo de barreiras e regulamentação para venderem seus produtos na Europa e EUA. A agricultura da União Européia por exemplo, recebe um subsidio anual superior a 60 bilhões de Euros. Por conta disso, agricultores Europeus conseguem vender seus produtos abaixo do preço de custo, formando uma barreira protecionista que impede a livre competição de produtos semelhantes de países não Europeus. A Africa é a grande prejudicada nesse caso ja que, o continente é responsável por grande parte da produção agrícola mundial. O Brasil tem a mais de 10 anos, um processo na OMC contra o subsidio do Algodão Americano que impede que o Algodão Brasileiro seja competitivo no mercado internacional. O mesmo ocorreu com a empresa Brasileira Embraer, que ganhou um processo na justiça contra a empresa Canadense Bombardier, por conta dos subsídios pagos pelo governo Canadense que possibilitava a Bombardier a vender seus aviões a um preço muito abaixo dos aviões da Brasileira Embraer. A política protecionista é a maior evidencia de que o Free Market não existe ou seja, é gato por lebre. O rótulo prega o livre comércio, mas o produto verdadeiro não tem nada de livre.

Os exemplos são infinitos. Produtos com rótulos para promover o bem, mas que promovem o mau. Sistemas que prometem o bem comum, mas na verdade promovem o totalitarismo. Partidos que prometem a libertação, mas no fundo promovem a divisão, a discriminação e a proibição. Idéias de liberdade que na verdade aprisionam. Num mundo dominado pela informação 24 horas, é cada vez mais fácil vender gato por lebre. Manter a mente aberta e em alerta total, é a grande arma contra produtos nocivos, com rótulos de chocolate. A oferta de libertação pode muito bem significar seu aprisionamento. Todo indivíduo tem a responsabilidade de zelar por sua liberdade de pensamento. Se continuarmos com o atual comportamento passivo diante de tanta oferta fraudulenta, seremos continuamente vitimas da nossa própria indolência. Todo cuidado é pouco!

Feliz 2017!