ANTI-AMERICANISMO (!?)

Opinião de: Michaell Lange,

Londres, 09/05/18 –

Anti-Americanismo – Você se classificaria como um anti-Americano?

O website Dictionary.com classifica o Anti-Americanismo simplesmente como “a oposição ou hostilidade aos Estados Unidos da America, seu povo, seus princípios ou suas políticas”. Há quem classifique o Anti-Americanismo como uma forma de racismo. Anos atrás, uma Americana que vive em Londres, escreveu para o canal de TV Britânico BBC, para relatar os inúmeros abusos que vinha sofrendo pelo simples fato de ser Americana, e como estes abusos são similares ao racismo.

O Anti-Americanismo não é um problema limitado a países ditos, Comunistas ou Socialistas. Na Europa, sobretudo na Alemanha, o Anti-Americanismo sempre foi um problema conhecido. É possível também, sem muito esforço, classificar muitos Americanos na longa lista de anti-Americanos. Em alguns estados do país, há grupos de extrema direita conhecidos, como a Ku Klux Klan, grupos Neo-Nazistas, e outros grupos de Supremacia Branca, que pregam o oposto dos valores e princípios previstas na Constituição Americana. A promoção do sentimento Nazista por exemplo, não vai apenas contra os princípios de igualdade e direitos dos cidadãos garantida por Lei, o Nazismo é uma ideologia que prega além do extermínio de Judeus e outras minorias, prega também, a destruição dos EUA e Inglaterra, duas das mais bem sucedidas democracias do mundo. Americanos que promovem o Nazismo, não são apenas traidores dos princípios fundamentais da nação Americana, mas são também Anti-Americanos.

No Brasil, o Anti-Americanismo segue uma cartilha rasa e irracional, que usa um tom populista para atrair seguidores. Queimar a bandeira dos Estados Unidos em praça publica por exemplo, não é apenas uma atitude patética, é também uma clara evidência de que você é intelectualmente pobre e altamente suscetível a manipulações. Acusar os Americanos de imperialistas é uma outra forma de dizer; “não sei do que estou falando, ou sei muito pouco do que estou falando”. Afinal, muitos dos que acusam os Americanos de imperialistas, usam de meios similares para manter seus partidos políticos no poder. Por tanto, se os Americanos são imperialistas, todos nós, de uma forma ou de outra, também somos. Vale citar é claro, que há exceções em ambos os lados.

Assim como vários outros conceitos equivocados, o conceito de Anti-Americanismo é um exemplo clássico de como as pessoas entendem esse termo de forma errônea e confusa. Vejamos: Se você se considera um anti-Americano, é importante que você entenda porque você tem esse sentimento. A primeira pergunta a ser feita é; Por que? Por que você se sente um anti-Americano? Se você não tiver a resposta para esta pergunta na ponta da lingua, existe uma grande chance de você não ser um anti-Americano, mesmo que você acredite que seja.

Se você gosta do Iphone, de calça jeans, do tênis Nike, da cerveja Budweiser, dos computadores da Apple, do Google, do youtube, do facebook, twitter e Instagram, do ford Camaro ou do Mustang, de rock’n roll, Jazz e Blues, se você gosta das musicas do Creedence, do Gun’s and roses, Metallica, Red hot chilli peppers, Elvis Presley, Pearl Jam, dos filmes de Hollywood, das roupas da QuickSilver, O’neill, Hollister, Levi’s, e de uns Dólares, é muito pouco provável que você seja de fato um anti-Americano.

Mas, se você condena veemente as desigualdades criado pelo Neo-Liberalismo, o consumismo descontrolado, o envolvimento Americano no golpe de 64, os massacres no Iraque, no Afeganistão, no Vietnam e em tantos outros países. É muito provável que você também não seja um anti-Americano, mas sim, um árduo defensor da justiça e dos direitos humanos.

Ser anti-Americano é ser contra TUDO e TODOS que venham dos EUA, incluindo 300 milhões de pessoas que você não conhece e pré-julga que sejam iguais e a favor dos abusos e das atrocidades cometidos pelo governo daquele país. Ser contra o Capitalismo não faz de você um anti-Americano. Condenar a invasão do Iraque não faz de você um anti-Americano. De fato, de Norte a Sul dos EUA, o povo Americano é muito similar aos Brasileiros. A família continua sendo a instituição mais forte da nação. A fé Cristã é promovida em larga escala. O povo é receptivo, e na maioria das vezes, manipulado pela propaganda política e a estratégia do medo que manipula a percepção das pessoas e as faz concordar com idéias que normalmente elas jamais concordariam.

Finalizando esta pequena analise sobre um tema tão abrangente, é importante lembrar que, assim como o Brasil não é apenas o país do Carnaval e do futebol, os EUA não é apenas os erros e crimes cometidos por suas políticas externas. Os EUA não é apenas Nova York e Miami. A grande parte dos seus 300 milhões de cidadãos, são pessoas do bem, que se importam com a vida, se emocionam e se revoltam com a injustiça, sofrem com as imposições de um governo que nem sempre defende o bem estar da maioria. Na crise econômica de 2008, causada por uma elite da Wall Street, 6 milhões de famílias Americanas perderam suas casas. Atualmente, 15% da população Americana é considerada pobre, e 50 milhões de pessoas não tem acesso a saúde. Os EUA não é apenas o sonho Americano, não é apenas armas nucleares. O anti-Americanismo é um sentimento equivocado promovido por um conceito equivocado, que não reflete de forma alguma os valores e os princípios que o território e a maioria do seu povo representam.

NOSSA DEMOCRACIA É ADOLESCENTE, MAS PRECISAMOS APRENDER A FAZER-LA E PRESERVA-LA

By: Michaell Lange,

London, 28/04/17 –

 

O Brasil é um país jovem que tem penas 195 anos idade. Nossa democracia é pre-adolescente, o que justificaria nossos erros de exercício. Mas nesse caso, estamos falando de adultos exercitando uma democracia jovem e por tanto, é preciso aprendermos a fazer democracia e ao mesmo tempo preserva-la.

Não há nada mais auto-destrutivo, no que se refere ao exercício democrático, do que barricada construída com paus e pneus para fechar vias públicas. Pior ainda quando ateiam fogo. É a estratégia mais anti-democrática, abusiva e contraditória que qualquer protesto pode adotar. Isso não é uma crítica partidarista, mas a impressão é de que a esquerda costuma usar dessa estratégia com mais frequência do que ninguém. Porém, isso não se limita aos esquerdistas. Vale lembrar dos protestos dos caminhoneiros em 2015 contra o governo Dilma, que bloqueou estradas em todo o país, e motoristas que se recusavam a participar acabavam agredidos e com o caminhão danificado pelos próprios colegas de profissão. Dias atrás, uma outra categoria que muito me diz respeito, os pescadores, também bloquearam a BR 101 em Itajai em protesto contra a proibição da pesca de inúmeras espécies de peixes, que  de fato, coloca em risco toda a industria pesqueira do país. Em ambos os casos, não se tratava de protestos promovido pela CUT ou qualquer outra instituição de esquerda.

O Brasil assiste hoje, políticos de todas as esferas, serem presos, processados e investigados por corrupção e lavagem de dinheiro. Mesmo assim, tem-se a impressão de que o povo Brasileiro nunca esteve tão dividido. Defendemos a pau e pedra, aqueles que acreditamos ser os menos corruptos. Mesmo frente a um assunto relevante a todos os trabalhadores do país, como é o caso da reforma da previdência, o povo Brasileiro é incapaz de protestar unido. Quem não concorda com a greve geral de hoje, tentou classifica-la como partidarista. E quem foi a favor da greve de hoje, fez questão de demonstrar seu partidarismo. Fica difícil para o trabalhador Brasileiro, vitima de tamanha sacanagem, se defender da infinita e ilimitada agressão vinda de Brasilia. Afinal de contas, quem tem que cair é Brasilia e não o Brasil!

Fechar as estradas com o único intuito de impedir a passagem daqueles que como vc, tem o direito de ir e vir, é um tiro de canhão no próprio pé. Digo isso por vários motivos. Primeiro, bloquear vias públicas colocando fogo em pneus e madeira causa a sensação de caos e tensão, que acaba tirando o foco do verdadeiro motivo do protesto. Segundo, quando impedimos a livre passagem daqueles que por motivos múltiplos não participam do protesto, criamos um inimigo naqueles que deveríamos conquistar o apoio. Ninguém que precisa ir de um lugar para outro, por motivos banais ou urgentes, e acaba preso, impedido, e impossibilitado de seguir seu caminho por causa de uma barricada desnecessária e que esta ali com o único propósito de impedi-lo de seguir viagem, irá apoiar qualquer protesto, seja por motivo mais nobre que for. Terceiro, o fechamento de uma estrada fornece o ingrediente perfeito e legal, para a ação da Policia Militar. Todo mundo sabe que a PM tem um prazer quase sexual em dar porrada em esquerdista, por isso, fazer barricada com fogo em pneu, é um convite a tomar paulada da PM. Isso tudo sem falar no dano causado pelo fogo no asfalto e a poluição causada pelos pneus incendiados. Se uma multidão, digamos, 50 mil pessoas ou mais fechar a Avenida Paulista, sejamos justos, cabe sempre o bom senso. Mas, fechar uma estrada importante por conta de 100 ou 200 pessoas não é bom senso, nem democracia, é abuso de direito. Existe uma grande diferença entre fechar a Av Paulista em São Paulo com uma multidão de manifestantes, como ocorre frequentemente (bom senso), e fechar a SC-401 em Florianópolis queimando pneus com um punhado de manifestantes causando caos total para pessoas que não querem participar do movimento (abuso de direitos).

O Brasil é um país jovem, e nossa democracia é adolescente, mas o Brasileiro precisa aprender a fazer democracia e preserva-la. Caso contrário, não teremos a menor chance contra estes abutres da política nacional.

 

THERESA MAY ANUNCIA NOVAS ELEIÇÕES GERAIS NO REINO UNIDO

By: Michaell Lange,

London, 18/04/17 –

A primeira ministra Britânica surpreendeu o país hoje pela manhã ao anunciar novas eleições gerais para 8 Junho. O anuncio foi recebido com muita surpresa pelos Britânicos que nos últimos dois anos, já passaram por uma eleição geral e um referendum. Theresa May já havia afirmado em diferentes ocasiões que não convocaria eleições gerais antes do final do atual mandato que termina em 2020. Mas, a atual situação política do país fez com que ela mudasse de idéia. De fato, o Reino Unido passa por um momento extremamente delicado, tanto econômico como político e social.

Após a surpresa do Brexit, Theresa May, que era a favor da permanência do país na União Européia, herdou um país dividido e com futuro incerto. Sua principal missão não se resumia apenas a dar andamento a um processo de ruptura política com a União Européia, no qual ela é contra. Theresa May herdou também a difícil missão de evitar um eminente colapso do Reino Unido. A Escócia, que votou massivamente pela permanência do país na UE, quer agora um novo referendo para sair do Reino Unido e continuar fazendo parte da UE. Por outro lado, a Irlanda do Norte, outro membro do Reino Unido, não consegue encontrar um acordo entre oposição e situação para montar um governo que possa assumir sua assembléia. O Reino Unido também enfrenta incertezas quanto ao seu futuro econômico pós Brexit. O país depende quase inteiramente dos serviços financeiros da UE processados em Londres, e que passarão a ficar mais caros após a saída do país da UE. Teme-se que os bancos e empresas de seguros irão trocar o país por locais com operações mais baratas como Frankfurt e Luxemburgo.

Mas a ocasião também é extremamente favorável a Theresa May cujo os indicadores eleitorais a colocam com 20% de vantagem com relação ao segundo colocado, Jeremy Corbyn, que é o líder do Partido dos Trabalhadores Britânicos (The labour Party). Porém, estas eleições também estão sendo chamadas de “O segundo Referendum” porque é quase certo que o Partido dos Trabalhadores irá propor como principal promessa de campanha, a permanência do país na UE. Mesmo que segundo as Leis da UE, uma vez que o artigo 50 (aviso prévio) é aplicado, não há volta, é bem provável que a UE encontre uma maneira de dar a volta neste detalhe legal para ajudar uma possível permanência do Reino Unido na UE. Se isso for possível, Jeremy Corbyn deve usar esse trunfo para as eleições de Junho o que o deixaria (tecnicamente) a apenas 2 pontos percentuais nas pesquisas de intenção de voto, ja que o resultado final do referendum foi de 52% contra 48%. Jeremy Corbyn também terá a seu favor os recentes cortes na educação, saúde e pensões promovidas pelos conservadores. Porém, o maior obstáculo de Jeremy Corbyn nas próximas eleições deve ser mesmo a sua rejeição popular. Apesar de ter transformado o partido dos trabalhadores no maior partido político da Europa em número de afiliados, muitos dos seus próprios membros não conseguem ver Jeremy como Primeiro Ministro.

Nos últimos dois anos o Reino Unido ja passou por uma eleição geral e um referendum que virou o país de cabeça para baixo. Sem mandato, a atual primeira ministra aposta numa vitória para ter apoio total do seu país nas difíceis decisões que ela precisará tomar nos próximos anos incluindo, a possibilidade de ter que transformar o Reino Unido em mais um paraíso fiscal para poder manter os grandes bancos e empresas de seguros operando no país. Depois do anuncio de hoje, o projeto para eleições em Junho ainda precisa ser aprovado pelo Parlamento Britânico que vota o pedido da primeira ministra ja nesta Quarta Feira (19). Mas, o projeto não deve encontrar resistência e conseguirá facilmente os dois terços dos votos necessários para ser aprovado. Uma vez que o parlamento aprovar o projeto, a primeira ministra então com aval da Rainha, deve dissolver o parlamento e todos os membros (deputados e senadores federais) iniciam suas campanhas eleitorais para reeleição nas suas respectivas regiões. O partido dos conservadores da atual primeira ministra, tem uma maioria de 18 cadeiras e espera aumentar esta vantagem nas eleições de 8 de Junho.

Cabe aqui uma rápida analogia com o embate político no Brasil que se arrasta já por vários anos. Obviamente que as comparações aqui devem ficar apenas no âmbito das atitudes dos políticos que aqui no Reino Unido, trabalham juntos para minimizar os impactos negativos na sociedade Britânica que o atual impasse político tem provocado no país. Já no Brasil, os políticos de ambos os lados não se importam em jogar o país inteiro na lama em detrimento dos seus ganhos partidários. Trabalho em conjunto existe apenas na hora do acordo para livra-los da cadeia. Nesse caso, o consenso político é quase imediato. De volta ao Reino Unido, o líder da oposição Jeremy Corbyn, foi rápido em parabenizar a primeira ministra pela atitude de bom senso. No Brasil, Michel Temer, mesmo sem nenhuma moral ou legitimidade para continuar seu governo atolado até o pescoço na lava-jato, se recusa até mesmo a considerar a possibilidade de novas eleições gerais. Infelizmente são estas pequenas diferenças de atitude dos políticos de cada país que acabam por refletir a diferença descomunal entre a sociedade Britânica e a sociedade Brasileira. O Brasil precisa de uma nova classe de políticos. Os Britânicos precisam apenas de um novo primeiro ministro.

 

POLÍTICOS: OS GRANDES EXTERMINADORES DO POVO BRASILEIRO

By: Michaell Lange,

London, 11/04/17 –

A lava jato tem quatro personagens distintos. Dos quatro, apenas um é vítima, o povo Brasileiro. Dos outros três, um é a justiça parcialmente corrompida, os outros dois são cúmplices de crime grave contra a nação Brasileira, parte do setor privado e o estado. O estado aqui, se divide em oposição e situação que juntos, formam a facção criminosa que saqueia e mata diariamente. Partidos da esquerda, de direita e centro, como o PMDB, PSDB, PT, PP e dezenas de outros, que trabalharam em conjunto para roubar o país das suas riquezas, oportunidades futuras e de sua própria vida. A gravidade desse crime é infinitamente superior ao crime de rua ou o crime de violência causada na maioria dos casos, pelo narcotráfico, que acredita-se estar também envolto ao governo. O crime praticado por grandes empresas privadas em conluio com o governo eleito para administrar o bem público e zelar pelas instituições e atribuições do Brasil, é infinitamente superior ao crime de traição a patria, o qual muitos países ainda punem com a pena capital. O crime praticado por estes barões da política nacional e da economia Brasileira, é um genocídio contínuo e não declarado que ja matou milhões de cidadãos Brasileiros de forma direta e indireta. Esse extermínio sistêmico do povo Brasileiro é promovido diariamente pela falta de medicamentos básicos em hospitais e postos de saúde, pela falta de tratamentos de doenças graves, pela falta de hospitais, de médicos, de infra-estrutura nas cidades e estradas, e sobretudo, de fome. O Governo Brasileiro em conjunto com empresas privadas, mataram e matam, centenas de milhares de crianças Brasileiras de fome, de desnutrição e doenças curáveis. Outros milhões morreram e morrem nas filas dos hospitais esperando atendimento, ou aguardando tratamentos essenciais. Tudo isso para que algumas centenas de políticos e empresários possam desfrutar de contas bancarias com saldos bilionários no exterior.

Estes assassinos, massacram o povo Brasileiro de uma forma tão monstruosa e sistêmica que fazem da comparação, uma missão quase impossível. Hitler, pol pot, Stalin, Mao Zedong e alguns outros, exterminaram milhões. Mas, o governo Brasileiro consegue ser ainda mais cruel. O governo Brasileiro mata o cidadão lentamente nas salas de aula, nos escritórios, nos corredores dos hospitais, dentro do ônibus, dentro de suas casas onde o cidadão perde sua dignidade a medida em que a doença avança, na medida que a fome queima a inocência das nossas crianças, na medida em que a falta de perspectivas do povo se transforma em depressão crônica e mortal adoecendo toda uma nação que é obrigada a trabalhar sem direitos, sem dinheiro, sem saúde, sem educação, sem segurança e sem laser. O governo Brasileiro mata seu povo de humilhação, mata sem dó e sem piedade. O extermínio sistêmico do povo Brasileiro usa dos métodos mais diabólicos e demoníacos porque mata lentamente e propositalmente. A morte vem aos poucos com a gradativa diminuição da capacidade do ser humano de se locomover, de se alimentar, de se tratar. É como uma mão que enforca sua vitima, mas a permite respirar somente o necessário para mante-la viva e assim, continuar sofrendo quase que de forma perpétua até que o corpo, já não mais humano, desista sem que ninguém perceba seu desaparecimento.

Estes assassinos em massa, são políticos e empresários que se dizem pessoas do bem. Se classificam como excelências, doutores e autoridades, se dizem ser até homens de Deus que se permitem o direito de serem seres superiores a todos os outros seres. São Deuses, cuja o poder é tão ou maior do que divino. Se acham superiores as Leis e a própria Constituição Federal. Se acham seres intocáveis. Se dizem perseguidos e injustiçados pelo único fragmento do sistema de justiça que ainda funciona e com muito esforço, consegue acusa-los de uma fração dos crimes que já cometeram contra o povo Brasileiro. São na verdade, monstros e demônios. Vampiros que sugam o sangue e a vida de suas vitimas!

A grande vitima desse crime, o povo Brasileiro, ainda consegue depois de todo o sofrimento, apoiar todas as partes acusadas deste massacre. Esse cenário é possível apenas porque os mesmos políticos e empresários autores desse crime, são também os arquitetos por trás da manutenção da divisão perpétua do povo Brasileiro. Enquanto uma parcela da população defender a direita contra a outra parcela que defende a esquerda e vice-e-versa, não se unirem para juntos apoiarem a justiça, o Brasil seguirá negligente, pobre, injusto, violento, dividido e permanentemente sem futuro. Enquanto o partido dos Brasileiros não for unicamente o Brasil, as vitimas deste crime hediondo, continuarão defendendo a inocência dos criminosos responsáveis pela decadência eterna do Brasil. Seremos como o passarinho engaiolado que defende seu dono por lhe trazer água e comida todos os dias, sem perceber que seu dono é de fato, o responsável por ele estar preso em uma gaiola. Seremos como o Peru votando a favor da ceia de Natal sem perceber que ele é o prato principal. O povo Brasileiro é o único que pode derrubar Brasilia e interromper a promoção sistêmica do massacre do povo Brasileiro. Mas, para que isso aconteça, o Brasileiro precisa se unir em um só povo e um só Brasil como fez em 2013. Quando o Brasil for apenas um, ninguém mais será capaz de derrota-lo, ninguém mais será capaz de extermina-lo. Os políticos e empresários, pensarão duas vezes antes de se deixar levar por sua ilimitada ambição por dinheiro púbico. Brasilia é nosso maior inimigo. Brasilia tem que cair, e levar junto os criminosos genocidas que por tanto tempo exterminam o povo Brasileiro.

 

O BREXIT E A UNIÃO EUROPÉIA

By: Michaell Lange,

29/03/16 –

 

O Reino Unido aplicou hoje o art.50 da União Européia (UE) que inicia oficialmente o processo de saída do país da UE. O art.50, ou “aviso prévio”, é o processo de dois anos de desliga um país membro, de todos os acordos comerciais, sociais e de segurança, com a UE. É o desligamento total de um sócio do seu clube. Essa é a primeira vez na história da UE que um país decide aplicar o artigo 50.

Depois do referendum Britânico em Junho de 2016, no qual os Britânicos decidiram pela saída da UE (o chamado Brexit), o então Primeiro Ministro David Cameron, que era a favor da permanência do país na UE, renunciou. Os Conservadores então, elegeram Theresa May como a nova líder do partido, que nas Leis Britânicas assume o posto de Primeiro Ministro depois de aceitar o convite da Rainha para formar um novo governo que deve durar até o final do atual mandato, que termina em 2020. A Primeira Ministra pode, se assim decidir, marcar novas eleições antes do fim do seu mandato.  Após assumir o comando do país, Theresa May voltou ao o palácio de Buckingham para pedir a assinatura da Rainha autorizando o governo a iniciar o processo de saída do país da UE. Faltava então, o pedido formal da Primeira Ministra Britânica ao Presidente do Conselho Europeu Donald Tusk, para que o processo de dois anos que desliga o Reino Unido de todas as atividades de membro da UE tivesse inicio. Isso aconteceu hoje.

Ao enviar a carta formal ao conselho Europeu, Theresa May declarou: “Este é um momento histórico no qual não há retorno”. Já o presidente do conselho Europeu, disse ao receber a carta da Primeira Ministra que; “não há razões para pretensões, hoje não é um dia feliz para a UE”.

A saída do Reino Unido da UE pode ser um marco histórico para um movimento global de rejeição do atual sistema de globalização que domina o mundo. Assim como o Reino Unido, a França, Italia e Holanda expressam grande descontentamento pelo qual a UE vem se comportando. A candidata a Presidente que lidera as pesquisas de intenção de voto na França, Marine Le Pen, promete tirar a França da UE caso seja eleita nas eleições gerais no mês que vem. Caso isso ocorra, será praticamente um milagre evitar o fim da União Européia.

No Reino Unido porém, as opiniões se dividem. Nas redes sociais o clima de grande tristeza divide espaço com o jubileu. Enquanto alguns falam em suicídio econômico, outros falam em liberação econômica. A grande verdade é que o país esta dividido. O resultado final do referendum deu 52% dos votos para a saída do país da UE contra 48% que votaram pela sua permanência. De fato, é difícil dizer o que irá acontecer. Quem votou pela saída (Brexit), acredita que o país poderá ditar suas próprias regras com relação a políticas migratórias e econômicas sem precisar da aprovação do conselho da UE. É o retorno do controle do país para as mãos do Parlamento Britânico, dizem. Quem votou pela permanência, acredita que a saída do país de um mercado com 450 milhões de consumidores é sem dúvidas um suicídio econômico, mesmo porque a economia Britânica é hoje extremamente dependente dos serviços financeiro da UE. A saída significa que ficará mais caro para os bancos operarem no Reino Unido por conta das tarifas impostas a quem não pertence a UE. Isso deve causar um êxodo dos serviços financeiro para países membros da UE, o que seria um desastre total para os Britânicos.

Os mais otimistas afirmam que a UE precisa do Reino Unido. Mais de um milhão carros Europeus como a AUDI, BMW e MERCEDES são vendidos por ano no Reino Unido. Seria loucura da UE tentar dificultar as operações deste mercado. Os pescadores Britânicos também estão mais otimistas. A saída do País da UE significa que barcos de pesca da França, Espanha e Portugal, por exemplo, não poderão mais pescar livremente em águas Britânicas. Mas vale lembrar também que barcos Britânicos não poderão mais operar em águas Européias. As Leis de cotas pesqueiras impostas pela UE também deixam de existir e passam a depender do que o Parlamento Britânico irá definir no futuro. Os produtores de produtos agrícolas também irão deixar de se beneficiar do subsidio Europeu que protege a agricultura Européia contra produtos mais baratos vindos de fora. Por outro lado, a saída do país da UE irá permitir que os Britânicos possam negociar acordos econômicos livremente com o resto do mundo, sem depender da aprovação do conselho Europeu.

Estudantes, tanto do Reino Unido quanto da UE perderão o beneficio de poder estudar livremente em outros países da UE. Essa medida tem sido duramente criticada, mas ainda pode ser negociada, assim como outras medidas, no decorrer dos próximos dois anos que encerram as relações de membro do Reino Unido com a UE. O Reino Unido continua fazendo parte da UE até o final do prazo de negociações, e o livre transito de pessoas e mercadorias entre o Reino Unido e os países membros da UE continuam valendo normalmente. A principal questão no momento se refere ao status dos mais de 1 milhão de Britânicos que vivem atualmente na França, Espanha, Portugal, Alemanha e outros países da UE, e os mais de dois milhões de Europeus da UE que vivem hoje no Reino Unido. A dúvida sobre este assunto e a falta de clarificação dos governos em garantir a permanência dos que ja se estabeleceram no país, tem levado milhares de pessoas a pedirem a naturalização nos países em que residem.

Ninguém rejeita o fato de que os próximos anos serão extremamente difíceis, tanto para o Reino Unido quanto para a UE. A adaptação e a transferencia das Leis Européias em Leis Britânicas podem levar até 10 anos segundo alguns especialistas. O governo Britânico também deve cortar impostos de grandes bancos para mante-los operando no país e proteger a economia do país. Mas, essa medida pode significar um corte no orçamento Britânico de até £100 bilhões de Libras e esse valor terá que ser tirado de algum lugar. É muito provável que os contribuintes terão que arcar com esta conta. Alguns especialistas dizem que estas medidas irão tornar o Reino Unido no mais novo paraíso fiscal, tornando o país um receptor de dinheiro sujo do resto do mundo.

As previsões sobre o futuro do Reino Unido e da UE são incertos. A única grande certeza é a de que o Reino Unido estará fora da UE dentro de dois anos, mas mesmo essa certeza é questionada. Se as negociações nos próximos dois anos não chegarem a um acordo que beneficie os dois lados, a Primeira Ministra Theresa May pode ser pressionada a marcar novas eleições. Um partido opositor poderia prometer o cancelamento do processo de saída do país da UE, revertendo o resultado do referendum com uma vitória numa possível eleição geral, mesmo que segundo o artigo 50 da UE, uma vez iniciado, o processo de saída é irreversível. Mas, considerando a incrível vitória de Trump nos EUA e a vitória do Brexit no referendum Britânico, fica difícil duvidar do futuro. Muita gente acredita que tudo é possível, mas só tempo irá dizer…

 

LONDRES SOB ATAQUE

By: Michaell Lange,

22/03/17 –

Foi uma tarde tensa aqui em Londres. As noticias começaram a chegar via redes sociais sobre um sério incidente próximo ao Parlamento Britânico. A noticia aqui corre rápido e os olhares das pessoas logo se tornaram apreensivos. A primeira coisa que você tenta fazer nestes casos, é tentar contactar amigos e familiares e saber se estão todos bem. Logo em seguida enviei uma mensagem para o Brasil explicando o que estava acontecendo e que estávamos todos bem. Ao mesmo tempo, alguns canais de TV ja transmitiam ao vivo via FaceBook  e Twitter direto das proximidades do incidente. Sky News, BBC, RT, Al Jazeera e ITV News, tem escritórios e estúdios a menos de 500 metros do Parlamento. Uma imagem de um helicóptero mostrava inúmeras vitimas no chão em todo o trajeto da Westminster Bridge (ponte ao lado do Parlamento) desde da extremidade Sul até a outra margem do rio. Ao longo da rua que segue ao lado do famoso relógio Big Ben, um veículo 4×4  havia invadido a calçada e estava cercado por carros da policia. Tudo isso estava sendo transmitido para o mundo enquanto a policia e os serviços de emergência chegavam ao local do incidente. A primeira Ambulância chegou no local 6 minutos depois da primeira ligação.

As noticias eram tão recentes que os repórteres se limitavam a narrar o que assistiam nas imagens e reproduziam o que outras redes de comunicação publicavam no Twitter. Sabia-se que haviam sido disparados tiros de armas de fogo e era possível ver um veiculo 4×4 parado encima da calçada do Parlamento onde logo ao lado, policiais e paramédicos tentavam reanimar uma pessoa que estava deitada no chão. Eu estava no Terminal 4 do Heathrow Airport, o mais movimentado da Europa. A policia armada, logo iniciou o patrulhamento em todos os Terminais. Carros, Vans e caminhões da policia estavam em todas as entradas e saídas do aeroporto. Não houve pânico. Os policiais armados se mostravam tranquilos, mas era possível ver em seus olhos a seriedade do momento. Hoje faz exatamente 1 ano dos ataques ao aeroporto de Bruxelas, e a ultima coisa que a policia local gostaria de ver, era um incidente parecido que forçasse o fechamento de um aeroporto onde transitam diariamente, 175 mil passageiros e 1400 vôos.

De acordo com  a investigação e o depoimento de inúmeras pessoas que presenciaram o incidente, um homem dirigindo um veículo 4×4 avançou sobre a multidão que estava na ponde de Westminster no sentido Sul/Norte rumo ao Parlamento deixando mortos e feridos espalhados pela ponte. Uma mulher foi resgatada por um barco do corpo de bombeiros que fazia exercícios próximo ao local. Não se sabe se ela pulou no rio para escapar do ataque ou se ela teria sido atingida e jogada no rio pelo carro em alta velocidade. Ao chegar do outro lado ja junto ao Parlamento, o motorista invadiu a calçada batendo no muro do Parlamento. Nesse momento, o motorista teria saído do carro e atacado com uma faca um dos policiais que faziam a segurança do Parlamento. Em segundos, dois policiais a paisana se aproximaram e atiraram no agressor. Três tiros foram disparados. Apesar dos esforços dos paramédicos, o policial e o agressor morreram no local.

A primeira Ministra Theresa May, que estava presente no Parlamento no momento do ataque, foi rapidamente retirada e levada sob escolta policial para um local seguro. Parlamentares diziam no Twitter que estavam dentro do Parlamento sob forte escolta policial. Toda a região ao redor do Parlamento Britânico que inclui além do próprio Big Ben, a London Eye (roda gigante), o Aquário, Trafalgar Square, o St James Park, o Palácio de Buckingham e as estações de trem e metrô de Westminster e Vitoria, foram cercados e isolados pela policia. Ninguém entrava ou saía do local. Muitas pessoas ligaram para rádios e canais de TV para relatar o que estava acontecendo. Ao menos dois ônibus com turistas, incluindo um grupo de estudantes Franceses de 15 e 16 anos, estavam na ponte no momento do ataque. A policia acredita que possa haver um segundo agressor e uma busca estava em andamento pela policia na região.

Londres era, até hoje, a única capital Européia considerada segura e que ainda não havia sofrido nenhum ataque terrorista recentemente. A policia de Londres disse no final do dia que  infelizmente aconteceu o que acreditávamos ser uma questão de tempo. Mas o chefe da Policia metropolitana reiterou que Londres esta preparada para reagir contra esse tipo de ataque. O Prefeito de Londres Sadiq Khan, disse que  Londres não irá se acovardar diante desse tipo de ataque. Theresa May, classificou o ataque de desprezível e doentio.

Londres é possivelmente a cidade mais segura do mundo. Uma das qualidades que salta aos olhos de um Brasileiro como eu, é a ausência de medo. Mas, é exatamente essa ausência de medo que nos choca tanto quando algo desse tipo acontece. A imagem mais impressionante de hoje, e que certamente reflete a qualidade da sociedade Londrina, é a imagem de paramédicos, incluindo um Parlamentar tentando salvar a vida do policial que acabara de ser esfaqueado, e logo ao lado, um outro grupo de paramédicos tentando salvar a vida da pessoa responsável por toda aquela desgraça que ali estava.

Mas, não podemos deixar de refletir as razões por trás da violência que assistimos hoje em Londres. Devo dizer antes, que absolutamente nada justifica a violência indiscriminada contra civis inocentes incluindo crianças, que foi promovida nas ruas de Londres hoje e mais recentemente em outras cidades da Europa. Assim como a violência no Brasil é resultado de um problema social ou seja, há uma história por trás da violência que explica a violência no Brasil, a Europa vive também uma situação que é resultado de ações militares que deixaram países completamente devastados pela guerra, e populações sem ter para onde fugir. São estas situações de total desespero que deixa o ser humano exposto e propenso a cometer atos de violência. Da mesma forma que um pai de família, trabalhador, cidadão exemplar, pacífico e diplomático, é capaz de triturar uma pessoa que tenha estuprado sua filha, o terrorista Islâmico esta exposto a situação similar onde crianças são queimadas vivas por bombas fabricadas e lançadas por Europeus e Americanos. Nada justifica a violência, mas é fato que violência gera violência. Londres viveu hoje o que São Paulo e Rio de Janeiro vivem o tempo todo. Os ataques nas ruas de Londres são insignificantes se comparados com o que os Sírios, Iraquianos e Líbios enfrentam todos os dias. É importante condenar a violência, mas também é importante entendermos as suas causas.

Os ataques de hoje deixaram até o momento, 5 mortos e 40 feridos. É provável que esse número continue a mudar ja que muitos dos feridos estão em estado grave. A preocupação é que o ataque de hoje possa inspirar novos ataques, por esse motivo o governo Britânico anunciou que haverá mais policiais armados em Londres e nos aeroportos da cidade para garantir a segurança de seus cidadãos e visitantes. O ultimo ataque terrorista no Reino Unido aconteceu em Junho do ano passado quando um extremista de extrema direita matou a Parlamentar Jo Cox a facadas e a tiros enquanto gritava “British first”. A policia acredita que o ataque de hoje foi motivado por extremistas Islâmicos.

A CARNE NÃO É FRACA, A CARNE É PODRE! (crítica)

By: Michaell Lange, (crítica)

London, 20/03/17 –

Cazuza e Renato Russo cantavam nos anos 80, “Que país é esse?” “Brasil, mostra a tua cara!”. O povo cantou e canta até hoje as musicas que denunciavam nossa falta de bom senso e nosso descaso com o Brasil. Mas, por alguma razão, não percebemos que estas musicas falavam sobre a gravidade da nossa negligência com nossa própria sociedade. Ignoramos nossa própria ignorância, mas acreditamos no futuro do Brasil. Queremos o fim da corrupção, mas não respeitamos a Constituição. De fato, nem conhecemos a Constituição. A mascara do Brasil vai caindo a cada escândalo, denunciando a corrupção e o descaso não apenas dos políticos, mas dos empresários, empresas e cidadãos. São todos culpados do Brasil ser o que o Brasil é hoje. Mas invés de vergonha, o sentimento é de desleixo. A indignação é tão pouca que é insuficiente até para um único final de semana de boicote a carne. Inventamos logo uma desculpa para justificar o churrasco e nos deixamos levar pela passividade típica do nosso povo. Aceitamos nossa condição de viver na lama e fazemos piadas do nosso lamaçal. “Da lama ao caos, do caos à lama, um homem roubado nunca se engana”, dizia chico Science. A letra é em bom Português, mas parece entrar codificado nos ouvidos tupiniquins. Ninguém recebe a mensagem eminente. É como o alarme de incêndio que perde a importância depois de ser acionado por acidente várias vezes e ninguém evacua o prédio quando ele pega fogo de verdade.

A Policia Federal agora é criticada por “colocar a economia Brasileira em risco”. Denunciam a PF por expôr um problema grave e com décadas de idade por supostos interesses Americanos. Ninguém seria tolo o suficiente de duvidar que o os Americanos estão infiltrados em todos os setores da economia e da sociedade Brasileira. Mas a culpa da carne Brasileira ser uma das piores do mundo não é dos Americanos e nem da Policia Federal. A responsabilidade do lixo consumido no Brasil é dos empresários Brasileiros e do consumidor que aceita estas condições. A Russia e os EUA não podem ser responsabillizados por se negarem a comer o lixo produzido pelo Brasil. Se o Brasileiro aceita essa condição, então, assuma também as suas consequências. Agora, empresários e corporações como a Sadia, Perdigão, Ceara, Friboi, entre outras, que são responsáveis por milhares de trabalhadores, precisam ser responsabilizados por colocar a economia Brasileira em risco e infringir as Lei Brasileiras. Em qualquer país sérios, eles perderiam a licença para produzir alimentos.

Mas, essa negligência não é jovem. Quando trabalhei no Brasil em meados de 1998/99, e viajava todo o estado de Santa Catarina e Paraná, era comum ver caminhões abarrotados de animais vivos como porcos, bois e frangos, estacionados sob sol escaldante de 30/35 graus, enquanto o motorista almoçava ou dormia após o almoço. Era triste de ver o sofrimento destes animais sem água ou comida, agonizando sob o sol forte. Fico imaginando quantos acabam sucumbindo ao transporte, e duvido que sejam descartados. O estado Brasileiro não apenas permite estes abusos como é negligente na sua fiscalização. A legislação Brasileira permite a criação de animais em condição de total confinamento. Essa prática é ilegal na Europa. Mas, o Brasil segue a legislação Americana que permite essa prática absurda além do uso de químicos comprovadamente cancerígenos para acelerar o crescimento e engorda dos animais. Na Europa o porco é criado solto como o gado, e o mesmo acontece com os frangos que são recolhidos no fim do dia e novamente soltos em campo aberto e apropriado na manhã seguinte. A negligência com o alimento vivo no Brasil não é nenhum segredo. O caso só veio a tona com tanta força agora porque a grande mídia deu a sua “benção”. Mas os videos de maus tratos com alimentos vivos e a má higiene no processamento de carnes e outros alimentos perecíveis é mais antigo do que a Constituição, e certamente mais antigo do que o YouTube.

Mas o Brasileiro aceita a condição. “Não tem mais jeito”, “Não vai mudar nunca”, dizem, sem perceber que essa atitude é a aceitação da condição de viver no caos da lama. O mais incrível é que o Brasileiro usa sua incrível capacidade de adaptação para encontrar conforto na lama ao invés de usa-la para sair dela. Quando perguntei no FaceBook se alguém deixaria de comer carne ao menos um final de semana, as respostas foram unanimas. Ninguém deixou de comer carne podre! Aceitamos a condição de nos alimentarmos com lixo, e criticamos ou denunciamos quem se recusa a fazer o mesmo.

É interessante a arrogância do Brasileiro. Certa vez arrumei uma briga feia com meus irmãos e meu pai porque chamei os Brasileiros de arrogantes. Meu pai chegou a sair da sala com raiva. Mas eu fico imaginando. Chamamos os Argentinos de porcos, arrogantes, sujos e encrenqueiros. Mas é exatamente o Brasileiro que polui e suja o mar, as praias e os rios do Brasil destruindo seu meio ambiente tão rico. É o Brasileiro que joga o lixo na rua e deixa as lixeiras vazias. É o Brasileiro que grita É CAMPEÃO antes mesmo do jogo começar. É o Brasileiro que cai na porrada por causa de uma partida de futebol, mas é incapaz de brigar por um país melhor. É o Brasileiro que tira onda do Reino Unido por ter assumido o lugar de quinta maior economia do mundo, mesmo que o povo esteja morrendo nas mãos de bandidos e políticos corruptos e o titulo de quinto lugar tenha durado menos de seis meses. E é o Brasileiro que não Ama o Brasil 10% do quanto o Argentino Ama a Argentina. E é o Argentino que é mundialmente reconhecido por ter a melhor qualidade de carne do mundo!

A verdade é que o Brasileiro não se importa se a cerveja é feita de milho, se a carne é podre, se o salgadinho pega fogo, se o whisky é falso, se o político é ladrão, se o pacote de arroz de 1kg na verdade tem só 750 gramas, se só Deus sabe o que tem dentro da linguiça. A verdade é que o Brasileiro aceita essa condição e é capaz de encontrar qualquer desculpa esfarrapada para justificar a situação. O Brasileiro continua comprando, comendo, votando e encontrando conforto na lama. Assim como um dependente químico, ninguém pode ajudar alguém quem não queira ser ajudado. A mudança só ocorre quando a decisão de mudar vem de quem deseja mudança. O Brasileiro precisa entender que ele, como indivíduo, precisa ser o instrumento dessa mudança. Sem a consciência de que o Brasil é feito pelo conjunto das atitudes diárias de cada Brasileiro, a carne continuará sendo podre!