PERCEPÇÃO: A IMPORTÂNCIA DE TER CONSCIÊNCIA DA SUA EXISTÊNCIA

Por: Michaell Lange

Londres, 18/04/18 –

Nosso mundo é determinado pelo modo como nossos sensores naturais captam o que acontece a nossa volta. Nossa capacidade de ver, ouvir, sentir, e perceber as coisas, é chamada de percepção. É a percepção que guia nossas decisões diárias, seja as decisões mais simples como experimentar uma comida nova por conta do cheiro, ou eleger um presidente da república por conta do que sentimos. Porém, se nossas percepções forem errôneas ou manipuladas por constantes ataques de forças externas (propaganda), isso significa que estamos tomando decisões erradas.

O tema percepção é tão abrangente e presente em nossas vidas que para fazer justiça a causa teríamos que ficar aqui falando sobre isso para sempre. Por isso, ficaremos com exemplos bem básicos, porém não menos importantes, sobre a importância de termos consciência e controle das nossas percepções.

Nossa percepção por tanto, é alvo constante de investidas positivas e negativas de pessoas e empresas (forças externas) que desejam nos convencer de algo que não necessariamente, sejam de nosso interesse e benefício. Todos os dias somos bombardeados por propagandas tentando nos vender algo que muitas vezes não precisamos. O vendedor sabe que se ele conseguir mudar nossa percepção, ele pode estar criando uma necessidade que até então não existia, e é essa mudança de percepção que irá nos convencer a comprar algo que não precisamos. Nesse caso, a melhor forma de defesa é o questionamento. Sera que realmente preciso comprar isso? Minha esposa costumava chegar em casa com coisas que de fato, não precisávamos. Quando questionada, ela dizia: “Estava na promoção!” ou seja, a percepção de um preço baixo a convenceu de comprar algo que não precisávamos. Esse é um exemplo simples e inocente de como nossas percepções podem ser manipuladas por forças externas. Afinal, quem nunca se rendeu ao poder sedutor de um chocolate? Mas, há outros exemplos mais graves e com consequências mais sérias e duradouras.

A mídia, seja televisiva, de radio, impressa ou eletrônica, tem um poder incalculável de convencer pessoas (desavisadas) de coisas totalmente inacreditáveis. Quando um candidato político faz campanha para ser eleito a um cargo público, seus “marketeiros” usam de meios absurdos para convencer o eleitorado. O uso de celebridades como atores de novelas, cantores e outros artistas em propaganda política é largamente explorado por conta da sua eficiência. Pode parecer surreal, mas ainda há pessoas que são convencidas a votar em um determinado candidato apenas porque seu jogador de futebol favorito declarou apoio a ele, por exemplo. Sera que nós, eleitores, não deveríamos decidir nosso voto de acordo com o histórico do candidato, sua proposta de governo, os custos e a viabilidade da sua proposta, e jamais votar em alguém apenas porque o Pablo Vittar ou o Neimar declaram apoio a ele/ela? A manipulação da percepção do eleitor nesse caso, tem consequências graves e duradouras no futuro do nosso país e no bem estar dos nossos cidadãos.

Tenha o controle da sua percepção!

Sempre que alguém tentar lhe vender algo, pergunte-se: Sera que realmente preciso disso? Sera que devo comprar apenas porque esta na promoção? Questionar, é uma ferramenta extremamente poderosa e pode nos salvar de verdadeiras enrascadas. O questionamento é um regulador natural da nossa percepção e nos permite ter mais controle sobre nossos sensores perceptivos.

Teste: Quando você ouve falar de um país como por exemplo, Cuba, EUA, Russia, Inglaterra, França. Qual é a sua percepção com relação a estes países? Se você nunca visitou estes lugares pessoalmente, o que ou quem lhe convenceu de ter esta percepção? Sera que a sua percepção esta mesmo de acordo com a realidade destes países? O mesmo vale para pessoas, empresas e outras organizações. Lembre-se sempre que as suas decisões diárias são baseadas nas suas percepções, e se você não tem o controle das suas percepções, isso significa que alguém esta tomando decisões por você.

 

 

 

MULHER ELEITORA

Por: Michaell Lange,

Londres, 06/02/18 –

 

Hoje os Britânicos comemoram o centenário da aprovação parlamentar do chamado Representation of the people Act  – “Ato de representação do Povo” de 1918, que deu direito as mulheres Britânicas acima de 30 anos e proprietárias de imóveis, de votarem e serem votadas. Apenas em 1928 o direito de voto foi concedido a todas as mulheres. Mas não foi uma conquista fácil, sobretudo por conta de um empasse político entre os dois maiores partidos da época, os Conservadores e liberais, que temiam as consequências da aprovação desse direito. Durante décadas, mais de 1300 mulheres ativistas foram presas e processadas pelo governo. Mas, foi a participação decisiva das mulheres na Primeira Guerra Mundial que fez as opiniões mudarem em favor das mulheres.

Junto com as comemorações do centenário do direito das mulheres ao voto, o governo Britânico estuda a proposta do líder do Partido dos Trabalhadores, Jeremy Corbyn, para um pedido oficial de desculpas do governo e pelo perdão e remoção dos nomes das mulheres presas durante a campanha pelo voto feminino, da fixa criminal do país.

No Brasil, a luta pelo direito das mulheres de votar e serem votadas, durou mais de 100 anos. Foi apenas em 1933 que as mulheres do Brasil tiveram seus direitos reconhecidos pelo governo. A Constituição de 1824, não restringia especificamente o voto das mulheres, apenas dava direito de voto para todo cidadão acima de 21 anos. Porém, o conceito de cidadão da época não incluía as mulheres. A Potiguar Celina Guimarães foi a primeira mulher a ter conseguido o direito de votar após cumprir todas as exigências estabelecidas pelo governo. Mas, foram os estados de Minas Gerais e Rio Grande do Norte os grandes pioneiros do movimento. Outro nome de destaque dessa conquista é a da Mineira Miêtta Santiago, que ao retornar da Europa com apenas 20 anos de idade, descobriu em 1928, que a proibição do voto feminino feria o artigo 70 da Constituição Brasileira de 1891 que ainda estava em vigor. Carlos Drummond de Andrade teria ficado tão impressionado que dedicou o poema Mulher Eleitora a jovem Mineira, que além de votar, votou em si mesma.

É importante frisarmos que o direito da mulher, seja de votar ou trabalhar com ou sem o consentimento do marido, ou quaisquer outros direitos cuja o homem historicamente limitou-se a dar-se a si mesmo, sempre existiu. A luta nunca é portanto, pelo direito em si, mas pelo seu reconhecimento. Ainda hoje as mulheres são submetidas aos mais inaceitáveis abusos cometidos por homens que ainda acreditam serem superiores. Apesar do movimento feminista ter adotado diferentes frentes ao longo dos anos, o objetivo central continua sendo o mesmo, o reconhecimento de igualdade de direitos com relação aos homens.

Mesmo completando 100 anos da conquista do direito de votar das Britânicas, as mulheres do Reino Unido, continuam a ganhar em média 15% a menos que os homens trabalhando na mesma função. A Nova Zelândia foi o primeiro país a legalizar o voto feminino em 1893. Apesar das grandes conquistas, a luta continua!

 

 

A ELITE DO BRASIL É BURRA!

By: Michaell Lange,
London, 24/07/17 –
No Brasil, quando o pobre começou a andar de avião e ir de férias para Miami, a elite ficou com ciúme, fazia cara de nojo. Teve até um apresentador esbravejando na TV dizendo que “agora até miserável tem carro”. Foram 10 anos de crescimento econômico com direito a capa de revistas internacionais, miserável comprando carro novo e casa nova. Por 10 anos, milhões de “miseráveis” passaram a ter o que jamais haviam tido. Mas, aos olhos da elite Brasileira, os miseráveis já estavam passando dos limites.
A elite Brasileira é diferente das elites de países desenvolvidos. Sim, o comportamento é parecido, o senso de superioridade é semelhante, mas há uma diferença vital, a elite Brasileira é burra. Burra porque a elite é composta por proprietários de grandes empresas que dependem de uma economia forte para continuar sendo elite. Economia forte depende do consumo e por tanto, é fundamental uma economia onde o cidadão tenha poder de compra, poder de consumo. No Reino Unido, nos EUA, na Austrália, Alemanha e outros países desenvolvidos, o cidadão que trabalha como garçon, servente de pedreiro, entregador de pizza e outros trabalhos considerados não qualificados, ganham bem e por isso, podem comprar roupa boa e pagar a vista, podem viajar de férias para o exterior mais de uma vez por ano, podem comprar utensílios domésticos a vista. Isso tudo porque a elite entende que para existir a classe alta, os ricos e milionários, é importante que o trabalhador tenha dinheiro para gastar e fazer a economia rodar. No Brasil a elite faz o inverso.
Nos países desenvolvidos, os governos trabalham como um termômetro, ou mediador entre a elite e os trabalhadores, para garantir a manutenção da economia, freiar os abusos das elites (em partes), e garantir o poder de compra do consumidor. No Brasil o governo faz o inverso. Sempre que sobra um pouquinho no bolso do consumidor, o governo sobe algum imposto. Dessa forma o povo não compra, a economia não gira, e a elite permanece com o seu dinheirinho, mas pobre, burra e ignorante.
A elite Brasileira não gosta de dividir poltrona de avião com pobre, e sente ciúme quando pobre consegue viajar ou comprar bens de consumo. A Elite Brasileira tem dinheiro mas é extremamente pobre. No Brasil, a elite precisa pisar no povão para se sentir bem. O personagem Caco Antibes do programa de humor Sai De Baixo, resumia bem esse problema. Caco Antibes tinha “horror a pobre”.
A elite Brasileira financia campanhas para convencer o povo a eleger políticos corruptos para garantir que o pobre continue pobre, sem direitos, e sem dinheiro para fazer coisas que para eles, somente a elite tem o direito de fazer. Afinal de contas, onde ja se viu, garçon, pedreiro, caminhoneiro, motoboy e diaristas andando de avião? Fazendo faculdade e com direitos trabalhistas? Um absurdo, diria Caco Antibes. Caco Antibes não é um personagem cômico, ele é a personificação da elite Brasileira!
É claro que quando me refiro a elite, me refiro de forma generalizada. É claro que há pessoas muito bem intencionadas e bem educadas que fazem parte desse grupo no qual classificamos de elite. Também é importante entendermos que as elites são vistas de forma geral, tanto nas relações sociais como nos estudos das teorias acadêmicas, como um grupo opressor. De fato, há evidências históricas que demonstram uma ambição constante dos mais ricos, em controlar a vida dos mais pobres. Porém, nem tudo que esta relacionado a elite é necessariamente negativo e desprezível. Vale lembrar que há muito trabalhador oprimindo trabalhador, prejudicando o colega e fazendo campanha para limitar direitos trabalhistas da sua própria classe. Particularmente, prefiro usar essa divisão social entre elite e trabalhadores com certa cautela, ja que o problema entre estas duas classes não é tão simples quanto parece. Mas cabe aqui dizer que no Brasil, a elite, que é quem mais se beneficia de uma economia forte e estável, parece trabalhar contra o país pelo simples prazer de não precisar dividir o portão de embarque do aeroporto com aquela gentalha que Caco Antibes tanto odeia.
Enquanto as elites dos países desenvolvidos não se importam que pedreiros, jardineiros, atendentes, garçons, motoristas de ônibus e caminhão, frequentem teatros e viajem de avião (ja que são as elites as proprietárias dos teatros e empresas aéreas), no Brasil, pelo “horror a pobre”,  a elite Brasileira prefere ver os teatros vazios e empresas aéreas quebrando, e a economia estagnada, ao ver a classe trabalhadora usufruindo daquilo que a elite Brasileira acredita pertencer apenas a quem merece ou seja, a própria elite…

CORRUPÇÃO EXPLICITA E ILIMITADA

By: Michaell Lange,

London, 19/05/17 –

A Rede Globo pareceu a primeira vista, ter jogado o excremento da política Brasileira nos ventiladores de Brasilia ao publicar uma “bomba Jornalística” durante o Jornal Nacional da última Quarta Feira (17), que revelou conversas extremamente comprometedoras entre empresários da empresa JBS, o Presidente da República, Michel Temer e o Senador Aécio Neves. A noticia fez tremer os alicerces da Capital Federal que parou diante das denuncias de corrupção e pagamento de propinas, supostamente autorizadas pelo próprio presidente, para comprar o silêncio do ex-Presidente da Camara dos Deputados, Eduardo Cunha, que se encontra preso sob acusações de corrupção e lavagem de dinheiro.

Mas, diferentemente das gravações telefônicas entre Lula e Dilma que foram ao ar imediatamente após o vazamento dos tapes, a Rede Globo se limitou apenas a publicar as transcrições dos diálogos entre o Presidente Temer, o Senador Aécio Neves e os empresários da JBS ao invés dos audios, que certamente teriam impacto muito mais devastadores. Os porquês da Rede Globo ter preferido não publicar os audios como fez no caso entre Lula e Dilma é uma pergunta que apenas a Rede Globo pode responder. O fato é que estamos diante de evidências explícitas de crimes que ja eram de conhecimento geral, mas que nunca houve comprovações materiais tão contundentes ligando todas as esferas do governo incluindo o próprio Presidente da República.

A história da JBS também denuncia um sistema criminoso gigantesco envolvendo o governo Federal e empresas privadas como a própria JBS, que durante o governo Lula recebeu empréstimos generosos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, e se transformou na maior processadora de carne do mundo. A JBS que em 2006 tinha um faturamento anual de R$ 4.3 bilhões de Reais, passou a lucrar em 2016 R$ 170 bilhões de Reais, mesmo precisando ser resgatada financeiramente em 2011 pelo BNDES quando a empresa quase quebrou (Jornal Nacional). É um tanto evidente que um aumento patrimonial de 40 vezes em apenas 10 anos, não correspondem aos padrões econômicos Brasileiros e pode estar diretamente ligado a sua relação de vantagens criminosas com o governo Federal. Mas a história da JBS esta longe de ser única. A própria rede Globo é acusada de receber recursos e investimentos públicos estimados em milhões de Reais. As revelações do JN parecem serem parte de um sistema mafioso e gigantesco que se alimenta dos cofres públicos e destrói qualquer possibilidade de crescimento do país. O lucro deles é criado encima da desgraça do povo que eles deveriam zelar. Somos nós, o povo Brasileiro, que sustentamos toda essa estrutura bilionária que gera lucro fácil a empresas privadas e políticos corruptos, e um prejuízo incalculável para o país e para o povo Brasileiro.

O pagamento sistemático e bilionário de propinas entre grandes empresas privadas e o governo Federal em troca de vantagens indevidas, denuncia uma rede criminosa de magnitudes inimagináveis aos olhos do trabalhador e contribuinte Brasileiro. É como se multinacionais mantivessem grandes aspiradores de pó (nesse caso de dinheiro), dentro dos cofres públicos em tempo integral sugando dinheiro que deveria ser usado na melhoria do sistema de saúde, na educação e na segurança do povo Brasileiro. É bem provável que esse gigantesco desvio de dinheiro público seja um dos principais responsáveis pelo próprio endividamento do estado. É seguro afirmar que estes esquemas bilionários de favorecimento ilícitos envolvendo governo e empresas privadas, sejam a regra em todos os níveis governamentais do país, passando pelas prefeituras, governos de estado, e como ja sabemos, na própria Presidência da república. Não é difícil observar para onde vai os recursos públicos que deveriam ser investidos no desenvolvimento e modernização do país. As consequências desse crime hediondo são visíveis em todo o Brasil, seja na precariedade das escolas, nas praças públicas, na decadência dos hospitais e estradas de Norte a Sul do país. Os aposentados, Professores, a policia e outros servidores públicos, são abandonados pelo estado enquanto Eduardo Cunha recebe mesada na prisão, em valores que 99% dos Brasileiros nunca ganharão trabalhando. E qual é a ordem do Presidente da República? “Tem que manter isso ai”. A revolução Francesa que viu membros do governo e da elite Francesa serem arrastados e guilhotinados em praça pública pelo próprio povo, ocorreu por muito menos do que isso. A pergunta é: Até quando o povo Brasileiro aguenta essa tortura?

O momento é oportuno para o povo Brasileiro refletir e entender que a reforma da previdência, além de todas as outras políticas de austeridade promovida pelo governo Brasileiro, seriam totalmente desnecessárias caso não existisse a transferência bilionária e criminosa de recursos públicos para políticos e empresas privadas. Sobraria orçamento para modernizar o país e transformar o Brasil em um país de ponta, com educação, saúde e segurança exemplar. Isso só não é possível, e hoje isso se faz mais claro do que nunca, porque as pessoas responsáveis por esse processo, roubam o povo Brasileiro com a maior desfaçatez e a certeza da impunidade. Assistem o povo Brasileiro ser assassinado nas ruas e morrerem nos hospitais com a mesma frieza diabólica de um psicopata assassino e calculista. Ainda fazem videos para dizer o quanto amam o povo Brasileiro e o quanto são honestos. fazem cara de santinhos para pedir o voto, mas são na verdade os ratos responsáveis pela praga que aniquila uma nação inteira de forma lenta e extremamente dolorosa. Não amam ninguém se não a si próprio!

Os irmãos da JBS que fizeram a denuncia do crime que eles mesmo fizeram parte, alegaram ameaças de morte e deixaram o Brasil. Se encontram agora em Miami nos EUA. Ironicamente, a cidade Americana é refúgio conhecido de bandidos do mundo inteiro, diga-se, políticos, empresários, traficantes de droga, e até lideres religiosos, que na eminência da captura, refugiam-se no ninho favorito das ratazanas mundiais que lhes proporciona um nível de segurança e conforto que suas vitimas jamais poderão usufruir. São ratos de fato e merecem todo o desprezo e a fúria do povo Brasileiro. Brasilia tem que cair por inteiro, e das ruínas dessa babilônia, um novo sistema político deve surgir. Um sistema político que não tenha um gargalo chamado Brasilia, nem repasses de verbas dos estados para uma união corrompida. Talvez, um sistema federativo aos moldes dos EUA seria uma boa opção para o Brasil e quem sabe, prisão perpétua para qualquer político eleito  que se envolver em esquemas de corrupção. É agora ou nunca!

 

NOSSA DEMOCRACIA É ADOLESCENTE, MAS PRECISAMOS APRENDER A FAZER-LA E PRESERVA-LA

By: Michaell Lange,

London, 28/04/17 –

 

O Brasil é um país jovem que tem penas 195 anos idade. Nossa democracia é pre-adolescente, o que justificaria nossos erros de exercício. Mas nesse caso, estamos falando de adultos exercitando uma democracia jovem e por tanto, é preciso aprendermos a fazer democracia e ao mesmo tempo preserva-la.

Não há nada mais auto-destrutivo, no que se refere ao exercício democrático, do que barricada construída com paus e pneus para fechar vias públicas. Pior ainda quando ateiam fogo. É a estratégia mais anti-democrática, abusiva e contraditória que qualquer protesto pode adotar. Isso não é uma crítica partidarista, mas a impressão é de que a esquerda costuma usar dessa estratégia com mais frequência do que ninguém. Porém, isso não se limita aos esquerdistas. Vale lembrar dos protestos dos caminhoneiros em 2015 contra o governo Dilma, que bloqueou estradas em todo o país, e motoristas que se recusavam a participar acabavam agredidos e com o caminhão danificado pelos próprios colegas de profissão. Dias atrás, uma outra categoria que muito me diz respeito, os pescadores, também bloquearam a BR 101 em Itajai em protesto contra a proibição da pesca de inúmeras espécies de peixes, que  de fato, coloca em risco toda a industria pesqueira do país. Em ambos os casos, não se tratava de protestos promovido pela CUT ou qualquer outra instituição de esquerda.

O Brasil assiste hoje, políticos de todas as esferas, serem presos, processados e investigados por corrupção e lavagem de dinheiro. Mesmo assim, tem-se a impressão de que o povo Brasileiro nunca esteve tão dividido. Defendemos a pau e pedra, aqueles que acreditamos ser os menos corruptos. Mesmo frente a um assunto relevante a todos os trabalhadores do país, como é o caso da reforma da previdência, o povo Brasileiro é incapaz de protestar unido. Quem não concorda com a greve geral de hoje, tentou classifica-la como partidarista. E quem foi a favor da greve de hoje, fez questão de demonstrar seu partidarismo. Fica difícil para o trabalhador Brasileiro, vitima de tamanha sacanagem, se defender da infinita e ilimitada agressão vinda de Brasilia. Afinal de contas, quem tem que cair é Brasilia e não o Brasil!

Fechar as estradas com o único intuito de impedir a passagem daqueles que como vc, tem o direito de ir e vir, é um tiro de canhão no próprio pé. Digo isso por vários motivos. Primeiro, bloquear vias públicas colocando fogo em pneus e madeira causa a sensação de caos e tensão, que acaba tirando o foco do verdadeiro motivo do protesto. Segundo, quando impedimos a livre passagem daqueles que por motivos múltiplos não participam do protesto, criamos um inimigo naqueles que deveríamos conquistar o apoio. Ninguém que precisa ir de um lugar para outro, por motivos banais ou urgentes, e acaba preso, impedido, e impossibilitado de seguir seu caminho por causa de uma barricada desnecessária e que esta ali com o único propósito de impedi-lo de seguir viagem, irá apoiar qualquer protesto, seja por motivo mais nobre que for. Terceiro, o fechamento de uma estrada fornece o ingrediente perfeito e legal, para a ação da Policia Militar. Todo mundo sabe que a PM tem um prazer quase sexual em dar porrada em esquerdista, por isso, fazer barricada com fogo em pneu, é um convite a tomar paulada da PM. Isso tudo sem falar no dano causado pelo fogo no asfalto e a poluição causada pelos pneus incendiados. Se uma multidão, digamos, 50 mil pessoas ou mais fechar a Avenida Paulista, sejamos justos, cabe sempre o bom senso. Mas, fechar uma estrada importante por conta de 100 ou 200 pessoas não é bom senso, nem democracia, é abuso de direito. Existe uma grande diferença entre fechar a Av Paulista em São Paulo com uma multidão de manifestantes, como ocorre frequentemente (bom senso), e fechar a SC-401 em Florianópolis queimando pneus com um punhado de manifestantes causando caos total para pessoas que não querem participar do movimento (abuso de direitos).

O Brasil é um país jovem, e nossa democracia é adolescente, mas o Brasileiro precisa aprender a fazer democracia e preserva-la. Caso contrário, não teremos a menor chance contra estes abutres da política nacional.

 

THERESA MAY ANUNCIA NOVAS ELEIÇÕES GERAIS NO REINO UNIDO

By: Michaell Lange,

London, 18/04/17 –

A primeira ministra Britânica surpreendeu o país hoje pela manhã ao anunciar novas eleições gerais para 8 Junho. O anuncio foi recebido com muita surpresa pelos Britânicos que nos últimos dois anos, já passaram por uma eleição geral e um referendum. Theresa May já havia afirmado em diferentes ocasiões que não convocaria eleições gerais antes do final do atual mandato que termina em 2020. Mas, a atual situação política do país fez com que ela mudasse de idéia. De fato, o Reino Unido passa por um momento extremamente delicado, tanto econômico como político e social.

Após a surpresa do Brexit, Theresa May, que era a favor da permanência do país na União Européia, herdou um país dividido e com futuro incerto. Sua principal missão não se resumia apenas a dar andamento a um processo de ruptura política com a União Européia, no qual ela é contra. Theresa May herdou também a difícil missão de evitar um eminente colapso do Reino Unido. A Escócia, que votou massivamente pela permanência do país na UE, quer agora um novo referendo para sair do Reino Unido e continuar fazendo parte da UE. Por outro lado, a Irlanda do Norte, outro membro do Reino Unido, não consegue encontrar um acordo entre oposição e situação para montar um governo que possa assumir sua assembléia. O Reino Unido também enfrenta incertezas quanto ao seu futuro econômico pós Brexit. O país depende quase inteiramente dos serviços financeiros da UE processados em Londres, e que passarão a ficar mais caros após a saída do país da UE. Teme-se que os bancos e empresas de seguros irão trocar o país por locais com operações mais baratas como Frankfurt e Luxemburgo.

Mas a ocasião também é extremamente favorável a Theresa May cujo os indicadores eleitorais a colocam com 20% de vantagem com relação ao segundo colocado, Jeremy Corbyn, que é o líder do Partido dos Trabalhadores Britânicos (The labour Party). Porém, estas eleições também estão sendo chamadas de “O segundo Referendum” porque é quase certo que o Partido dos Trabalhadores irá propor como principal promessa de campanha, a permanência do país na UE. Mesmo que segundo as Leis da UE, uma vez que o artigo 50 (aviso prévio) é aplicado, não há volta, é bem provável que a UE encontre uma maneira de dar a volta neste detalhe legal para ajudar uma possível permanência do Reino Unido na UE. Se isso for possível, Jeremy Corbyn deve usar esse trunfo para as eleições de Junho o que o deixaria (tecnicamente) a apenas 2 pontos percentuais nas pesquisas de intenção de voto, ja que o resultado final do referendum foi de 52% contra 48%. Jeremy Corbyn também terá a seu favor os recentes cortes na educação, saúde e pensões promovidas pelos conservadores. Porém, o maior obstáculo de Jeremy Corbyn nas próximas eleições deve ser mesmo a sua rejeição popular. Apesar de ter transformado o partido dos trabalhadores no maior partido político da Europa em número de afiliados, muitos dos seus próprios membros não conseguem ver Jeremy como Primeiro Ministro.

Nos últimos dois anos o Reino Unido ja passou por uma eleição geral e um referendum que virou o país de cabeça para baixo. Sem mandato, a atual primeira ministra aposta numa vitória para ter apoio total do seu país nas difíceis decisões que ela precisará tomar nos próximos anos incluindo, a possibilidade de ter que transformar o Reino Unido em mais um paraíso fiscal para poder manter os grandes bancos e empresas de seguros operando no país. Depois do anuncio de hoje, o projeto para eleições em Junho ainda precisa ser aprovado pelo Parlamento Britânico que vota o pedido da primeira ministra ja nesta Quarta Feira (19). Mas, o projeto não deve encontrar resistência e conseguirá facilmente os dois terços dos votos necessários para ser aprovado. Uma vez que o parlamento aprovar o projeto, a primeira ministra então com aval da Rainha, deve dissolver o parlamento e todos os membros (deputados e senadores federais) iniciam suas campanhas eleitorais para reeleição nas suas respectivas regiões. O partido dos conservadores da atual primeira ministra, tem uma maioria de 18 cadeiras e espera aumentar esta vantagem nas eleições de 8 de Junho.

Cabe aqui uma rápida analogia com o embate político no Brasil que se arrasta já por vários anos. Obviamente que as comparações aqui devem ficar apenas no âmbito das atitudes dos políticos que aqui no Reino Unido, trabalham juntos para minimizar os impactos negativos na sociedade Britânica que o atual impasse político tem provocado no país. Já no Brasil, os políticos de ambos os lados não se importam em jogar o país inteiro na lama em detrimento dos seus ganhos partidários. Trabalho em conjunto existe apenas na hora do acordo para livra-los da cadeia. Nesse caso, o consenso político é quase imediato. De volta ao Reino Unido, o líder da oposição Jeremy Corbyn, foi rápido em parabenizar a primeira ministra pela atitude de bom senso. No Brasil, Michel Temer, mesmo sem nenhuma moral ou legitimidade para continuar seu governo atolado até o pescoço na lava-jato, se recusa até mesmo a considerar a possibilidade de novas eleições gerais. Infelizmente são estas pequenas diferenças de atitude dos políticos de cada país que acabam por refletir a diferença descomunal entre a sociedade Britânica e a sociedade Brasileira. O Brasil precisa de uma nova classe de políticos. Os Britânicos precisam apenas de um novo primeiro ministro.