O BRASIL, A CORRUPÇÃO, E EU

By: Michaell Lange.

London, 28/09/16 –

A sociedade Brasileira é inteiramente corrompida. Dos 25 anos que eu morei no Brasil, a quantidade de pessoas honestas que eu encontrei foram tão poucas que eu poderia contar usando os dedos de uma única mão, e nem eu me incluiria nessa lista. De fato, uma das maiores lições que a sociedade Britânica me ensinou ao longo dos últimos 14 anos, foi que a corrupção tem cura. É possível acabar com a corrupção! Mas é preciso um exercício intenso que vai muito além da simples vontade de ser e fazer as coisas da forma correta. Mudar o que somos e seguir contra tudo aquilo que é aceitável e que dita as regras sociais a que fomos introduzidos e condicionados desde o primeiro dia de vida, é um desafio árduo e custoso. É preciso antes de mais nada, compreender e entender o que é corrupção antes de iniciarmos o processo de nos distanciarmos dessa prática. É como passar a vida inteira nadando contra a correnteza de um rio tentando convencer as pessoas de que apesar das dificuldades de nadar contra a corrente, se todo mundo passar a nadar para o lado certo, nós conseguiremos mudar o curso do rio. A minha experiência em Londres me deu maior clareza desse processo que antes eu nem conseguia reconhecer, por isso eu critico, mas não condeno o povo Brasileiro. Eu só enxerguei o que estava errado depois que eu sai, porque até então, eu era apenas parte do problema.

Logo que cheguei a Londres em 2002, me deparei com um desafio tão imenso que por vários dias cheguei a pensar que na verdade eu estava ali porque havia morrido, e que todas as pessoas a minha volta também estavam mortas. Em Londres, as pessoas costumam andar em silêncio, com a cabeça ligeiramente baixa. O Brasileiro caminha como um carro alegórico, falando alto, gesticulando, rebolando, olhando para os lados, cumprimentando quem passa, tirando onda. Para quem esta acostumado com essas alegorias do comportamento Brasileiro, não é tão difícil assim achar o silêncio dos Londrinos meio sem vida. Me lembro claramente de caminhar no centro de Londres e não sentir o chão. Por vezes toquei as pessoas nas ruas de propósito só para ter a certeza de que elas estavam realmente vivas. É uma experiência muito louca, especialmente quando você é meio “bicho do mato” como eu.  Foi um choque cultural muito grande.Eu reconhecia os valores, mas nunca havia visto em prática. No Brasil, o que conhecemos como valores quase nunca são aplicados. Valores no Brasil são como teorias que aprendemos na escola e ouvimos falar em casa, mas nunca praticamos de verdade. Assistir a estes conceitos serem praticados no dia-a-dia era uma novidade para mim. Acho que o desafio foi especialmente difícil no meu caso porque cresci numa vila de pescadores praticamente isolada do resto do planeta. Uma vila de pescadores que desenvolveu seus próprios códigos de conduta moral, facilmente questionáveis por conta do conservadorismo religioso, machista, preconceituoso e corrupto. A sociedade Britânica me introduziu um processo de renovação de conceitos, virtudes e valores que eu ainda não havia experimentado, e que acabou me transformando quase que literalmente em outra pessoa. Pela primeira vez na vida a palavra corrupção passou a ser mais do que uma simples palavra usada para atacar e acusar os políticos de um crime que eu também praticava. A primeira vez que você tem a clara percepção de que você também é corrupto, não é apenas um momento que revela uma verdade sobre você que você até então desconhecia. Esse é um momento que choca muito, porque você acreditava ser honesto e descobre por si mesmo que você não é. O choque de reconhecer que você é corrupto só é menor do que a percepção de que a base fundamental que sustenta a sociedade que você nasceu, e que é responsável por todas as relações humanas, sociais e comerciais do dia-a-dia de todos os cidadãos, são ditadas e operadas pela corrupção. Reconhecer a corrupção em suas próprias atitudes ja é um desafio por si só. Combate-la dentro de si mesmo é uma guerra diária que dura a vida inteira e precisa ser vencida batalha por batalha.

Na minha primeira semana em Londres, um amigo meu (Brasileiro) que trabalhava em um Pub, me deu um telefone usado de presente. Ele me contou que achou o telefone no chão do Pub e que eu precisava desbloquea-lo para poder usa-lo. Segundo ele, qualquer lojinha de telefone faria o trabalho. Fiquei muito feliz de não precisar gastar meu dinheiro (contado), com essa necessidade. Na manhã seguinte, tomei um café e fui direto para o centrinho de Wimbledon para desbloquear o telefone. Entrei na primeira loja que eu vi (Vodafone) e fui direto no balcão onde o atendente, com olhar desconfiado, me disse que eles não faziam esse serviço. Fiquei surpreso porque meu amigo havia dito que eu poderia desbloquea-lo em qualquer lojinha. Resolvi perguntar porque eles não desbloqueavam. O atendente foi direto ao assunto; “não desbloqueamos telefones porque isso é ilegal senhor “. Foi meu primeiro tapa na cara, e foi também a primeira vez na minha vida que alguém havia me dito que tal coisa era ilegal. A palavra ilegal para mim ja era algo raro. Ver um comerciante falar isso olhando nos meus olhos, foi literalmente algo inédito na minha vida. No caminho de volta para casa fui pensando na situação e na vergonha que eu acabara de passar. Quando cheguei em casa, olhei para aquele telefone e pensei: Esse telefone não é meu. Só porque meu amigo o achou, não significa que agora o telefone seja dele. Aquele telefone tinha um dono, e esse dono não era eu nem meu amigo. Foi nesse momento que a ficha caiu. Foi nesse momento que eu percebi que eu também era corrupto, e que no meu país, essa prática era normal. Eu não conhecia nada diferente disso e por isso, era normal também para mim. Resolvi deixar o telefone ligado na esperança que o dono ligasse, e de fato ele ligou. Combinamos um horário e ele passaria na casa que eu estava morando para pegar o seu telefone de volta. O prazer de devolve-lo ao dono e de ver a felicidade da pessoa ao reaver um bem importante que ele havia perdido, me transmitiu um sentimento de felicidade muito maior que aquele que eu havia sentido quando ganhei o telefone que não era meu. O prazer de promover o bem é muito melhor do que o prazer da vantagem de receber algo que na verdade não lhe pertence. De lá pra cá, encontrei outros cinco telefones e consegui devolver todos! No Brasil, quando alguém devolve alguma coisa, a atitude é tão incrível que ganha espaço no Jornal Nacional. É algo tão surpreendente e raro quanto ver um político corrupto ser preso por corrupção. Em outra ocasião, danifiquei a roda de uma bicicleta velha que estava acorrentada no poste com a roda na rua. Deixei um bilhete e no dia seguinte uma menina da Alemanha me ligou. Tive que pagar uma roda nova, mas ganhei uma amiga e fiz ela mudar o conceito errado de ela tinha sobre os Brasileiros que moravam em Londres.

Aquela primeira lição do telefone em Londres, abriu tremendamente a minha cabeça para esse problema tão grave que é a corrupção na sociedade Brasileira. Resolvi fazer uma espécie de regressão para lembrar meus possíveis atos de corrupção que havia praticado durante os 25 anos que estive no Brasil. Pela primeira vez, ao invés do prazer da vantagem fácil, senti vergonha. Eu havia acabado de ser introduzido a sociedade Britânica, mas seus valores ja causavam uma revolução na minha cabeça. Eu copiei trabalho de amigo da escola, fiz cola de todos os tipos, e na faculdade comprei prova da menina que trabalhava no xerox. Quando comecei a trabalhar, saía para almoçar com meus colegas de trabalho e pedia uma nota fiscal com o valor bem acima do que realmente era. Quando terminávamos uma obra, chamávamos o senhor do ferro-velho local e vendíamos todo o ferro e o cobre que havia sobrado e repartíamos o dinheiro. Aceitei vale gasolina de candidato nas eleições e francamente, se você também ja fez isso, você não tem nada de cidadão do bem, você é apenas mais um corrupto hipócrita que ajuda a afundar o próprio país nesse mar de lama que nos encontramos hoje. Mas não se ofendam meus caros amigo, ja dizia Bob Marley: “A verdade é uma ofensa, mas não é um pecado”. Eu fui corrupto também! Mas hoje sou a prova de que é possível acabar com a corrupção. Se todos nadarem para o mesmo lado, é possível mudar o curso desse rio.

A nota fiscal com o valor adulterado para roubar seu patrão é um crime clássico não é mesmo? Você passa o almoço inteiro chamando o Lula e o Aécio de ladrão e corrupto, e na saída do restaurante faz exatamente a mesma coisa sem a menor culpa. Ja imaginou o que você faria se fosse Deputado ou Senador?

A sociedade Brasileira é tão corrupta que se a dona do restaurante se negar a fornecer nota fiscal com valor adulterado, as pessoas vão para outro restaurante, e a comerciante honesta corre o risco de ir a falência. Falência por honestidade! Esse é o nosso Brasil, cheio de cidadãos do bem. Os corruptos devem ser importados de algum país distante não é mesmo? Eu fui corrupto! O primeiro passo para acabar com a corrupção é reconhecer que você é corrupto. No dia que você conseguir mudar suas atitudes e deixar de ser corrupto, você terá acabado com a corrupção. E lembre-se que se todos nadarem para o mesmo lado, podemos mudar o curso desse rio.

A corrupção não esta ligada ao montante que você consegue roubar. A corrupção é uma atitude, e assim como o ladrão, se você entrar em um banco armado e roubar 1 Real ou 1 milhão de reais, você é ladrão de banco nos dois casos. Se você altera a nota fiscal do almoço para roubar seu patrão, você não é cidadão de bem, você é ladrão! Para finalizar, gostaria de deixar essa pergunta para vocês; Quantos de vocês praticam corrupção como as citadas acima, e se consideram um cidadão de bem ou trabalhador de bem? Seja sincero com você e comesse agora a nadar contra a correnteza e ajude a mudar o curso do Brasil.

 

CORRUPTION IN BRAZIL: BUSINESS AS USUAL?!?

By: Michaell Lange,

London, 26/09/16 –

Just days before national local elections in Brazil, the political scenery couldn’t be more busyness as usual. Across Brazil countless candidates are either involved or being investigated for corruption and money laundering accusations. If the buying and selling of votes were a legal trade in Brazil, the stock exchange would break all records this week. From today, a frenzy will take over the streets in a last attempt to win voters that can decide the election results. It means that some people working informally for the candidates, will  be going around with a lot of cash in their pockets as well as promises in order to guarantee every possible vote for their candidates. The campaign financiers, mostly bankers and big corporations connected to local governments, will spend whatever it takes to elect their candidates. The days before the elections are crucial. These are when money talks louder and people can change sides depending on the offers in hand. The price of each vote also rises following the market Law of supply and demand. Prices can vary depending on the size of the family and the number of voters in each family. Also, the social status, as well as the willingness to publicly show their support to their candidates, will dictate prices and benefits in exchange of their votes. For full support, the voters will have to use stickers on the windows of their cars and houses to clearly show a done deal, like a stamp to identify a product. These deals are usually negotiated with the father or the oldest family members in private meetings.

Anything becomes a commodity for exchange. Car fuel, bricks, water tanks, jobs, tyres, roof tiles, medical treatments, penalty charge cancelations, driving license, dentures etc. Everything are used to buyout votes. Every person over 16 years old is fair game.

In the past year or so, Brazilians were made to believe, with the help of the media, that the so called Mensalão and Petrolão, were the biggest corruption scandals in the history of Brazil. In fact, no scandal of corruption is bigger than the Brazilian election campaigns. However, it’s in no ones interest to have this one exposed. In no other period of the year, corruption activities are more intense than those during the election campaigns. It’s like a gigantic street market where vote is the only thing for sale. All sectors of society are involved in this game of corruption, including the private and governmental sectors. Big and small corporations, especially those with overpriced projects from the government, awarded by bribing officials, pay fat donations towards candidates which in return will award more contracts for the same companies on an endless cycle of corruption that uses public money to elect a group of carefully pre-selected candidates. It’s like play on black and red at roulette using someone else’s money. You just can’t lose it. The money “donated” by big business will then be used by candidates to pay for more overpriced leaflets, flags and all kind of campaign paraphernalia including votes. Any car without a candidate sticker will be targeted. Some people wait until the last minute to sell their votes for the biggest price possible. Every election the trustworthy of the Brazilian electronic ballot box is put in check for being unsecured and easy to be hacked. It’s seems convenient to blame the computer, but the real hacking actually happens before the election day, and it’s not done by the machine but by corrupted people willing to sell their votes.

In this extremely corrupted society, it’s very important to have friends at any level of the government. It facilitates things and make your life easier. The biggest your friendship and your loyalty to the candidates, the bigger your chances to be well rewarded. It can go from a job as a driver all the way to a cabinet position with your own staff and your own budget. It’s a corrupted rule that is followed from the bottom all the way to the federal government. It’s like an accepted Law from the black market of vote. Without being part of this corrupted game it’s almost impossible to be elected for any Brazilian public office. But there is hope!

Despite the appalling situation, there are honest candidates out there. They are few and far apart, but they are not difficult to spot. I personally know a couple of them and would certainly vote for them if I could. The reason I know they are genuine candidates is because I saw they grow up to become role models in their communities long before they even think to become politicians. They have promoted social projects for children’s development and to help the environment without ask nothing in return. They live a simple life and they can recognise the needs and issues within their communities. Moreover, they are natural altruists, promoting the good and well-being of the people around them voluntarily. The problem is; they might lost the elections by refusing to play the game, the dirty game of corrupt politics. Some of these role models even refuse to put their names forward fearing they might be seen like any other corrupted politician. Although I don’t blame them for refusing to be candidates, I certainly think our democracy lose out without these people being part of their local governments. These are the real candidates and it’s vital that the electorate can identify them and vote for them in the next local elections, which will be held in just a few days.

For all the Brazilian people who watched the despicable display of shameless politicians at the theatre of shame for the past year or so, these local elections are the biggest opportunity to say enough is enough! It’s vital that the Brazilian electorate send the right message to those politicians who think they are untouchable. It’s time to elect a new generation of people that have already done more for their communities than these professional politicians which only go out to meet the people during the electoral campaigns.

The fight against corruption starts at home. Brazilians must reject these century old corrupted system that has dictated the election results for so long. A vote isn’t a product for sale. It’s a social weapon of selfdefense and must be used wisely. A vote is a button to eject corrupted politicians out of the office and straight into prison. This culture of selling and buying votes must stop! It’s not only illegal and a crime, it’s a declaration of corruption made by both parts at the moment these deals are done. Any candidate offering to buy vote should be reported to the High Electoral Tribunal, (TSE).

In just a few days, Brazilians will have a huge opportunity to prove that all the protests were not in vain. Reject the “business as usual politics” will send the right message to Congress that Brazilians will no longer tolerate this kind of behaviour. If they fail, it will give the go ahead to corrupted politicians to continue their money laundering business as usual culture. The Brazilian people must say enough is enough. It will be their choices and it will be a choice for their future. It just cannot carry on like this!

Brazilian local elections will be held in October 2, 2016 in every city to elect Mayor and Aldermen.

ELEIÇÕES MUNICIPAIS: A SUA CHANCE DE DIZER BASTA!

By: Michaell Lange,
 London, 26/09/16 –
A uma semana das eleições municipais no Brasil, o cenário da política nacional, apesar dos escândalos,  parece continuar sendo o mesmo. De Norte a Sul do Brasil, são incontáveis os candidatos envolvidos ou sendo investigados por envolvimento em esquemas de corrupção e lavagem de dinheiro. Se a venda e a compra de votos fosse uma pratica legal, as bolsas de valores bateriam todos os records esta semana.
A partir de hoje, os financiadores de campanhas eleitorais (compradores de eleições), entram em estado de frenesi, numa desesperada e corrompida busca por votos. Os valores pagos por cada voto são inflacionados seguindo a mesma Lei de marcado da oferta e procura. O cidadão (de bem) passa a cobrar mais pelo favor. Os preços variam de acordo com algumas referências “de mercado” como o tamanho da família, o status social e a disposição do cidadão em participar da campanha eleitoral e claro, colar os adesivo dos candidatos no vidro do carro e da casa como um selo de garantia.
Ticket gasolina, tijolo, caixa d’agua, emprego, pneu, telha, tratamento médico, cancelamento de multas, CNH, dentaduras, etc. Tudo vira moeda de troca nessa ultima semana que antecipa o dia das eleições. É a maior prova de que o mensalão e o petrolão nunca foram de verdade os maiores escândalos de corrupção do Brasil. As eleições sim, são! A diferença é que o povo, obviamente, não irá denunciar um escândalo de corrupção na qual ele próprio faz parte. Isso é fato! Em nenhum outro período a atividade de corrupção é tão intensa e frenética do que no período que antecipa uma eleição no Brasil. Fato! Fato! Fato!
A gigantesca “feira popular” faz parte do maior esquema de corrupção do Brasil e atinge todos níveis sociais incluindo todas as esferas do poder governamental e econômico. Empresas, grandes e pequenas, principalmente aquelas que ja ganharam grandes e superfaturados contratos do estado através de pagamento de propinas, financiam a campanha de diferentes partidos e candidatos para garantir o apoio de quem quer que vença as eleições. É como jogar no preto e no vermelho na roleta do cassino. A vitória é certa! O dinheiro dos financiamentos é o mesmo dinheiro pago pelo governo em obras que custaram o dobro ou mais do valor real. Dessa forma os partidos ganham seus “padrinhos” e os “padrinhos” ganham o apoio dos candidatos eleitos. A verba pública, ja lavada nas obras superfaturadas, são usadas para “financiar as campanhas” que envolve novamente, a compra superfaturada de bandeirinhas, santinhos, cartazes e obviamente os votos daqueles que ainda são eleitores indecisos. Estão na mira todos aqueles que ainda não colaram os adesivos de algum candidato na janela do carro e da casa. As gráficas fazem dinheiro fácil em épocas de eleições.
Nesse sistema é importante ser amigo dos candidatos. Quanto maior a amizade e a “fidelidade” maiores os benefícios em época de campanhas. Os benefícios para os mais chegados podem variar de um emprego de motorista até um cargo de secretário do município. A regra vale para todos os níveis da política nacional e é quase uma Lei do mercado negro do voto. Sem fazer parte desse jogo é praticamente impossível ser eleito a alguma coisa no Brasil. Mas há esperanças!
Há candidatos honestos que infelizmente fazem parte de um seleto grupo de exceção. Pessoalmente, conheço alguns a nível municipal e não é muito difícil identificá-los. Eles ja eram referencias sociais e ja trabalhavam em prol da sociedade muito antes de serem candidatos a qualquer cargo público. Eles cresceram promovendo o desenvolvimento e o bem social das comunidades em que nasceram sem esperar nada em troca por isso. Vivem uma vida simples e sabem reconhecer as necessidades e os problemas de suas comunidades, e são acima de tudo, altruístas naturais ou seja, promovem o bem em suas comunidades de forma voluntária, e realmente se preocupam com o bem estar das pessoas que vivem a sua volta. Conheço e reconheço alguns cidadãos com esse perfil que resolveram colocar seus nomes a disposição do governo local. Alguns outros preferem continuar seu trabalho voluntário de forma modesta e anônima e não são menos importantes por isso. Fazem muito por suas comunidades e nada mais justo aos que saíram candidatos, que sejam eleitos e reconhecidos por tudo que ja fizeram. Estes sim, são verdadeiros candidatos. É importante que não sejam confundidos, muito menos esquecidos.
Aos eleitores que assistiram ao espetáculo de absurdos promovidos pelo teatro da vergonha em Brasilia, fica a responsabilidade de responder a estes absurdos através das urnas. É fundamental que o eleitor vote consciente e direcionado para eleger uma nova geração de cidadãos que ja fizeram mais por suas respectivas comunidades do que muitos “políticos de profissão” que apenas arregaçam as mangas em épocas de eleição. O combate a corrupção começa em casa com a rejeição do sistema de compra e venda de votos que tem ditado os resultados das eleições a décadas. O voto não é uma mercadoria, o voto é uma arma de defesa social. O voto é um botão de ejetar político corrupto. Use essa arma com sabedoria e não eleja políticos corruptos! Isso deve ficar claro a cada visita de candidato. Seja cordial e educado com todos eles, mas não aceite proposta que não seja em favor do benefício comum da sua sociedade. Não importa quão amigo ou simpatico ele seja, a proposta de comprar o seu voto, além de ilegal, é uma declaração de corrupção que deve ser tratado com cartão vermelho e denuncia no TSE.
Em poucos dias, os Brasileiros terão a oportunidade de provar que todos os protestos anti-corrupção não foram em vão. A rejeição da atual situação política e econômica do Brasil pode ser demonstrado nas urnas das eleições municipais da próxima semana. Se falharmos, a mensagem aos políticos será a de que tudo pode ser aceito pelo povo Brasileiro, e a perpetuação do sistema corrompido seguirá eternizado pelo seu voto. O povo Brasileiro terá, nestas eleições municipais, a oportunidade imperdível de dizer basta! Pense nisso, a escolha será sua!

BRASILEIRANDO O BRASIL BRASILEIRO

By: Michaell Lange,

London, 14/09/16 –

A tempestade tropical que abala a política nacional Brasileira continua causando estragos nas fortificações centenárias em Brasilia. Castelos inabaláveis que antes guardavam com segurança todas as falcatruas dos intocáveis coronéis, hoje ja não suportam a fúria dos ventos. Grandes pilares da política nacional sucumbiram diante da tempestade. Mas, como toda tempestade, logo esta também passará. E mesmo com todos os estragos estruturais, os políticos, donos destas perniciosas fortificações, são seres ágeis como as formigas para reconstruir o formigueiro danificado, e astutos como as lagartixas que sacrificam o próprio rabo para se salvar e continuar sua vida perversa.

O Brasil ja viu muitas destas tempestades irem e virem. Mudam os atores, mas a história é quase sempre a mesma. Faz parte da história Brasileira desde o primeiro 7 de Setembro. A morte suspeita de presidentes, o suicídio suspeito, golpes de estado, impeachments. Todos estes estragos estruturais estão no histórico tempestuoso do Brasil, e quase todos eles tem sua origem no mesmo motivo. Infelizmente, o principal ponto em comum entre os inúmeros vendavais que varrem a política nacional de tempos em tempos, é a incapacidade do país se reconstruir diferente. Quando parte da fortificação que esconde o crime abominável é derrubado e revela toda podridão fétida que existe do lado de dentro, a prioridade não parece ser a remoção daquilo que fede, mas sim a rápida reconstrução do que foi parcialmente demolido para que o podre não seja mais visto, e o cheiro não chame mais a atenção daqueles que vivem do lado de fora.  De fato, essa estratégia tem provado ser eficiente ao longo dos anos. No entanto, é exatamente o sucesso em conseguir esconder a podridão que habita as fortificações da política nacional, que condenam o país a uma perpétua busca por desenvolvimento. Mas o povo gosta do show. O povo gosta de ver a casa pegar fogo e ja esta acostumado ao mau cheiro.

No teatro mais famoso do Brasil, o Teatro Da Vergonha, localizado em Brasilia e mais comumente conhecido como Congresso Nacional, o povo tem assistido quase incrédulo, a apresentação de alguns dos maiores shows de estupidez e desrespeito com o povo Brasileiro, jamais visto antes. É quase uma exclusividade Brasileira poder assistir ao vivo e em rede nacional, várias facções criminosas se entrelaçando como num cesto repleto de cobras venenosas. Tentam fechar seus acordos em conversas ao pé do ouvido, cochichos e sinais codificados sem a menor preocupação de que estão sendo observados por uma nação confusa e refém de suas ações criminosas. Querem salvar seus prostíbulos das garras de uma justiça infiel e estupradora que prefere o bacanal ofertado por mãos apodrecidas pela imoralidade, do que salvar aqueles pelos quais sua criação foi justificada. A traição no teatro da vergonha é como um romance cujo o personagem principal é a corrupção. Seus amantes, que se dizem homens de Deus, são exatamente o contrário de tudo aquilo que Deus promove. Pregam a miséria humana, a falsidade, o obscuro, a mentira, a traição e a destruição. Se alimentam do sangue daqueles que os seguem, e não ha falta de sangue para alimenta-los. Como zumbis, dominados pela ignorância, pelo medo e pela miséria, seguem os passos dos seus senhores e brigam para defende-los. Zumbis contra zumbis em defesa dos responsáveis por suas vidas de zumbis. Promovem o bonito contra o feio, o inteligente contra o burro, o rico contra o pobre, a esquerda contra a direita, o Norte contra o Sul, o Azul contra o vermelho, o preto contra o branco. Não percebem que são todos vitimas dos mesmos coronéis que promovem as divisões para que a luta nunca termine, e não haja tempo para reflexões que possam levar ao esclarecimento e consequentemente a revelação da verdade. É como aquele passarinho que foi engaiolado ainda filhote e passa a vida toda adorando seu dono que garante sua sobrevivência trazendo-lhe água e comida, sem perceber que seu dono é o responsável por ele viver aprisionado em uma gaiola ao invés de livre na Natureza.

O teatro da vergonha apresenta novos shows. A peça “Tchau Querida” foi um sucesso. Foi a melhor interpretação teatral da salvação de uma nação jamais exibido ao vivo. Nem Hollywood conseguiria fazer aquilo parecer tão legítimo. A presença de Deus e Jesus juntamente com toda a família tradicional, não deixaram dúvidas da sua legitimidade. Nos banheiros do Teatro até o papel higiênico era diferente. Trazia escritos de um documento datado de 1988. Foi fantástico. Os fogos de artifício trouxeram a tranquilidade de que daquele momento em diante, a vida voltaria a ser como era antes. E de fato assim foi. Mas, não satisfeito com o sucesso da peça Tchau Querida, os organizadores logo lançaram outro sucesso. A peça “Fora Cunha” que tinha tudo para ser tão ou mais grandiosa do que a peça Tchau Querida. O povo nas ruas gritando em total êxtase dava provas do tamanho do sucesso que seria. Na noite do lançamento, lá estavam eles, os atores principais fazendo seus videos ao vivo nas redes sociais. O pré-lançamento da peça foi ainda maior do que a peça anterior. Mesmo com o olhar incrédulo dos espectadores, o lançamento não deixou a desejar e trouxe surpresas de última hora que deixou um gostinho de quero mais no público que compareceu a peça em peso. Foi mais uma noite brilhante no teatro da vergonha. A traição dos comparsas, o momento do “a querida ja foi” e o “Temer não fez nada por mim” levaram o público ao total delírio. O povo certamente não esquecera deles. É quase certo que serão eleitos ao teatro da vergonha nas próximas eleições, afinal de contas os zumbis nunca descobriram a verdade pois, continuam a brigar entre si.

Mas, da mesma forma que sempre haverá tempestades, também haverão novas peças e novos shows no teatro da vergonha. Enquanto o povo dorme anestesiado pelo sucesso do seu país democrático, os promotores de justiça ja preparam mais um lançamento imperdível. A nova peça teatral ja tem nome; a peça “Fora Temer” vem ai com mais novidades e novas surpresas para o delírio da nação zumbi. E com um congresso abarrotado de Cunhas e queridas, é certo que não faltará novos shows no teatro da vergonha para alegrar a vida da nação zumbi. O futuro esta garantido. Afinal de contas, o Brasil é o país do futuro e o futuro não é mais como era antigamente.

O BRASIL, A DEMOCRACIA E NOSSOS PECADOS POLÍTICOS

BY: Michaell Lange,

London, 05/09/16 –

Esse artigo é quase uma carta aberta aos meus amigos e colegas com quem venho debatendo desde o impeachment da presidente Dilma Rousseff. É normal que haja desentendimentos e erros de interpretação. Mas é fundamental que possamos entender a posição política de quem esta debatendo com você. Nós Brasileiros, temos muitos defeitos, sobretudo na facilidade como somos induzidos ao erro e influenciados a aceitar opiniões prontas sem questionamentos. Mas é verdade dizer também que ao longo dos anos o Brasileiro vem se tornando mais politizado e mais envolvido com as questões políticas do nosso país. Essa mudança se deve principalmente (ao meu ver) a introdução das redes sociais. Deixamos de ser 100% comandados pela mídia. Boa parte dos jovens se comunica via redes sociais numa comunicação de duas vias. Você opina e critica uma idéia e não apenas ouve sem direito de resposta como costumava ser nos tempos em que havia apenas o radio, a tv e a mídia impressa. Apesar dessa evolução, ainda estamos longe do ideal. Aquela vinheta do plantão da globo ainda tem o poder de fazer nossos corações dispararem causando um choque de ansiedade e preocupação. O jornal nacional continua sendo o ser supremo de informação, mesmo sabendo da sua parcialidade jornalística. Mas estamos melhorando gradativamente, isso é fato. Ha outros problemas mais sérios com relação a política que é de vital importância para o nosso futuro social. Nós Brasileiros, não entendemos quase nada sobre o que é política e como ela funciona. Nos limitamos ao debate sobre corrupção e partidos politicos, e acabamos perdendo os pontos importantes. Nada disso é nossa culpa. As escolas públicas não nos ensinam sobre política, e ha sempre uma suspeita de parcialidade quando alguns professores tentam ensinar política nas escolas. É certo dizer que na maioria dos casos que eu presenciei, os professores sempre foram parciais. Fui conhecer a imparcialidade política apenas na faculdade em Londres onde estudei Relações Internacionais e Política na London Metropolitan University. Meus professores, Mestres e Doutores, nunca se posicionaram de um lado ou de outro, com exceção de um ou dois que tinham dificuldades em controlar sua paixão por Margaret Thatcher e Karl Marx, mas ninguém é perfeito. Tirando as exceções, o incentivo ao debate sempre foi o objetivo maior. Para minha vantagem, na minha sala haviam Americanos, Iraquianos, Nigerianos, Chineses, Franceses, Italianos, Colombianos, Árabes, Russos, Ingleses, Brasileiros e até um aluno da Mongólia com o inglês mais bizarro que eu ja vi. Meus Mestres usavam essa diversidade cultural para verdadeiros confrontos políticos, sempre no campo das idéias, que as vezes não terminavam com o fim da aula. Seguíamos por horas e continuávamos pelos corredores e elevadores do Campus. Juntando toda essa bagagem aos meus 25 anos de Brasil, é importante que meus amigos e colegas não discriminem minha opinião apenas porque não moro no Brasil hoje. Não faço essa observação porque me ofendo.  Em primeiro lugar eu só me permito ser ofendido por pessoas que eu amo muito. Segundo, porque se você entra num debate político com a fragilidade de ofender ou ser ofendido, você não esta buscando conhecimento, você esta buscando apenas por meios para descarregar suas frustrações, e nesse tipo de debate não existe ganho intelectual. Porém, eu tenho lido e ouvido tanto esse argumento de que “eu não estou no Brasil por isso, não sei o que se passa la”, que acaba atrapalhando. É chato ouvir isso o tempo todo. É frustrante, principalmente quando vem de alguém que você sabe que tem potencial para ir além. O que eu gostaria de dizer para estas pessoas, sem precisar fazer “testão” no Face, é que: Eu não sinto o medo da insegurança que você sente morando no Brasil, mas eu sei que você sente medo. Eu sei que você sente medo porque eu ja senti esse medo também, e continuo sentindo cada vez que visito o Brasil. Eu não sinto a frustração de que você sente com a burocracia Brasileira, mas eu sei que você sente, porque eu ja senti também. Eu não julgo os Brasileiros que criticam Cuba, EUA, Russia ou Israel sem nunca terem morado ou visitado o lugar. O Diogo Mainardi da revista Veja mora na Italia mas ninguém questiona isso só porque o cara é famoso. Nós não sentimos na pele o que eles sentem, mas nós sabemos o que eles sentem. Por tanto pessoal, esse argumento de que é muito fácil falar morando aqui, é totalmente infundado e raso. A informação é global. Não sentir na pele o drama local não impede ninguém de falar sobre os problemas estando do outro lado do mundo. O Correspondente do jornal Britânico The Guardian, Glenn Greenwald vive no Brasil mas escreve sobre problemas do mundo inteiro. É importante reconhecer a legitimidade de opinião independente do local de onde vem a opinião. Toda opinião construtiva é valida para o debate não importando a sua origem.

DILMA E O IMPEACHMENT

Nós Brasileiros, estamos tão acostumados a pertencer a alguma coisa, um grupo, uma associação, um clube, um partido político, um time de futebol, uma igreja etc, que não nos damos conta que temos um conjunto de bens que deve ser apoiado e defendido por todos os Brasileiros sem distinção de qualquer natureza. Estou falando da Constituição Federal, a Democracia e nossa liberdade. Este conjunto de bens deve ser apoiado e defendido acima de tudo por todos os Brasileiros, indiferente de idéias e partidos. O que eu percebi do dia do impeachment para cá, é que ha muitos Brasileiros dispostos a colocar a democracia e a Constituição de lado para que seu desejo pessoal seja realizado. Também ha uma confusão com relação as pessoas que apoiam o Fora Temer de serem em quase sua totalidade, confundidos com defensores da Dilma. É obvio que poderíamos afirmar que a maioria de fato, são eleitores da Dilma, mas nem  todos são. Ha muitas pessoas defendo a democracia sem apoiar a Dilma. Eu por exemplo, nunca escondi minha frustração com a falta de competência e liderança da Dilma, apesar de acreditar que ela seja uma pessoa sensibilizada com as questões sociais. Mas, nem isso faz dela uma boa Presidente. Mesmo assim, não podemos ignorar a Constituição e ameaçar nossa democracia para tira-la do poder a força. Eu sou contra o impeachment e contra a saída da Dilma, não porque a defendo, mas por respeito o conjunto de bens que eu citei acima. A Constituição deveria ser para os Brasileiros o que a Bíblia e o Alcorão são para os Cristãos e Muçulmanos. Entendam que defender a Dilma contra o impeachment não faz de mim um eleitor Petista. A minha defesa é a favor da democracia e da Constituição Federal. Da mesma forma que defender o Fora Temer não faz de você um petista. Existem várias religiões que usam a Bíblia como seu livro sagrado. Apesar de serem religiões diferentes, todas elas se unem no livro sagrado. A questão partidarista e ideológica no Brasil deveria seguir a mesma linha da Bíblia ou seja, podemos pertencer a partidos diferentes, apoiar idéias diferentes, mas todos nós precisamos estar unidos em defesa da nossa democracia e da nossa Constituição Federal. Não é possível anular e aplicar a Constituição Federal por conveniência.

Por tanto, quem perdeu com o Impeachment não foi a Dilma ou o PT. Seria inocência e ingenuidade acreditar que um partido que esteve no poder por 13 anos e teve que ser retirado a força do Executivo, perdeu alguma coisa com isso. Considerando o caos que se encontra a direita Brasileira, é quase certo que o Lula volta a ser presidente do Brasil em 2018. Quem de fato perdeu com o impeachment foi a democracia, a Constituição Federal e nossa liberdade, que se encontra comprometida e ameaçada nas mãos de políticos réus, investigados, afastados ou ja condenados por corrupção e lavagem de dinheiro, que hoje, graças ao impeachment, gozam de imunidade parlamentar ou seja, não responderão aos crimes que cometeram. Se ao invés da Constituição Federal fosse a Bíblia, todos os Cristãos, evangélicos, Presbiterianos, Jeovás, Luteranos, Batistas etc, estariam unidos para defender o livro sagrado. O que nos impede de nos unir para defender a Constituição Federal?

O GOVERNO

Outro conceito errado que nós Brasileiros exercemos. O governo não é formado apenas pelo presidente da república. O governo Brasileiro é formado por três poderes. O Executivo, representado na figura do Presidente, o Legislativo que é representado pelo Congresso Nacional e o Judiciário. A figura do presidente representa apenas o poder executivo. Os poderes são divididos exatamente para evitar o que seria uma ditadura ou um totalitarismo onde a voz do presidente seria a Lei. A maior prova dessa divisão do poder foi o impasse político causado pela então oposição governamental. Quando as bancada evangélica, militar e ruralista se uniram, eles dominaram o Congresso Nacional e criaram uma barreira que estaguinou o exercício do governo como um todo. O governo parou porque ele não funciona apenas com as ordens do presidente. O governo não funciona sem o Congresso aprovar e deliberar as prioridades sociais, assim como não adianta o Congresso querer sem a presidência sancionar. O governo por tanto, é todo o conjunto que envolve os três poderes, e não apenas o presidente. Não entender como estes três poderes interagem nos faz vitimas da nossa própria ignorância. O presidente era a Dilma, mas o governo era formado por ela, pelo Congresso Nacional e pelo Judiciário. Na questão do impeachment, todos falharam com suas obrigações e responsabilidades porque o interesse coletivo do congresso era derrubar o presidente. A constituição ficou em segundo plano para interesses partidários nacionais e internacionais. O povo Brasileiro precisa entender que a nossa Constituição Federal é o nosso livro sagrado e deve estar acima de qualquer interesse partidarista ou ideológico.

A DEMOCRACIA

O conceito mais simples sobre a democracia parecer ser o mais aceito por grande parte dos Brasileiros. As pessoas pensam que a democracia é apenas o direito de votar e escolher nossos governantes. Isso é um equívoco. A definição de democracia como sendo o poder do povo pelo povo para o povo, vai muito além do direito de votar. Pessoalmente, defino a democracia como o sistema mais caótico que existe. A ditadura e o totalitarismo tira do povo o direito e a responsabilidade de opinar, de expressar suas vontades e desejos. O ditador é o senhor do seu povo ou seja, o que ele fala é Lei e pronto. A democracia é caótica porque concede o mesmo direito a todos os cidadãos. Essa ação por si só causadora de caos. O artigo quinto da nossa Constituição Federal de 1988 afirma: “Todos são iguais perante a Lei sem distinção de qualquer natureza” ou seja, indiferente da sua profissão, escolaridade, status social, condição financeira; todos são iguais perante a Lei. A consequência dessa igualdade social perante a Lei concede a 200 milhões de cidadãos Brasileiros que pensam diferente, tem desejos diferentes, ambições diferentes, idéias diferentes, poder financeiro diferente, status social diferente; a condição de total igualdade perante a Lei. O policial, O advogado, o Juiz, e outras autoridades sociais não tem por tanto, mais direitos do que qualquer outro cidadão Brasileiro, o que eles tem é mais responsabilidades. No Brasil, temos o conceito errado e inconsciente de que quanto mais dinheiro você tem mais direitos você adquire. Esse conceito é totalmente equivocado. O rico não tem mais direitos do que o pobre. A autoridade não tem mais direitos do que qualquer membro da nossa sociedade. Por isso a sociedade democrática é uma sociedade caótica, onde todos tem os mesmos direitos e precisam, de alguma forma, acomodar os diferentes anseios de cada cidadão para que a sociedade funcione. O protesto que fecha a rua, a avenida ou a ponte, gera grandes transtornos a muitas pessoas que também tem garantido por Lei o direito de ir e vir. Esta Lei também faz parte do artigo quinto da Constituição Federal de 1988 que afirma: “É livre a locomoção no território nacional em tempo de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar, permanecer ou sair com seus bens. Todo cidadão tem direito de se locomover livremente nas ruas, nas praças, nos lugares públicos, sem temor de serem privados de locomoção”. Essa Lei em si ja é causadora de caos, mas quando a Lei que nos da o direito e ir e vir sem temor de serem privados de locomoção, é confrontada com a Lei que nos da o direito a manifestações, o resultado só pode ser o caótico. A Lei que concede o direito a manifestação também faz parte do artigo quinto e afirma: “É livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato; […] XVI – todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente; […] XVII – é plena a liberdade de associação para fins lícitos, vedada a de caráter paramilitar”.

Vemos frequentemente que a PM e o Governo interferem em nossos direitos constitucionais seja pelo uso da violência, bloqueio da livre passagem dos manifestantes, e proibição de atos públicos. Manifestantes também infringem a Lei ao depredar o patrimônio público e portar armas durante manifestações populares.

O caos democrático pode ser observado por exemplo no cidadão que trabalhou o dia inteiro e deseja sua livre locomoção até a sua residência, mas se depara com uma manifestação pública sobre assuntos que não lhe trazem interesse. A virtude social que deve ser sempre exercitada para o controle do caos democrático é a tolerância. A tolerância reconhece a importância de uma manifestação popular mesmo quando esta não nos interessa. A greve dos caminhoneiros causou imenso transtorno durante semanas em quase todo o território Brasileiro. Muitas pessoas que simpatizavam com o argumento dos caminhoneiros exercitaram a tolerância diante de estradas e rodovias federais que permaneceram fechadas por vários dias. Ja as manifestações que fecharam a ponte em Florianópolis na hora do rush, foi intensamente criticada, principalmente por aqueles que não simpatizavam com a causa. Isso tende a agravar o senso de injustiça. Mas é importante que tudo isso seja superado e considerado necessário para a manutenção da nossa democracia. Pessoalmente achei a idéia de fechar a ponte um tanto equivocada pois, afeta o cidadão que deseja ir para casa e certamente não atrai o apoio popular. Mas esse é o caos democrático que desejamos viver. Na Coreia do Norte não ha caos, não ha protestos nem greve, porque não ha direitos nem liberdades. O totalitarismo ditatorial concede o poder total a uma única pessoa e esta, é quem decide como a sociedade e seus cidadãos devem se comportar. Hoje, o principal acesso terrestre entre a França e o Reino Unido foi fechado por manifestantes franceses. Esta é uma questão ainda mais delicada pois envolve o bloqueio de um dos principais acesso ao Reino Unido. Mas mesmo com algumas criticas, as agencias de transito e transporte fazem todo o possível para que a manifestação ocorra com segurança e com o mínimo de transtorno aos cidadãos afetados. Esse trabalho minimiza o caos e garante a manutenção da democracia. O protesto deve durar uma semana. A policia se limita a garantir a segurança de todos os envolvidos.

Concluo que o debate politico em todas as esferas sociais é extremamente importante para que possamos, não apenas nos comunicar diretamente, mas entender mais sobre o povo Brasileiro, quem somos, o que desejamos, porque divergimos nas opiniões. Entender o processo democrático, o funcionamento do governo e conhecer nossos direitos, é mais do que um dever, é uma responsabilidade de quem busca construir um país melhor para viver. Os rótulos populares que causam divisão e atrito, devem ser evitados. Pessoalmente não uso nenhum deles. Não me refiro a nenhum cidadão Brasileiro como coxinha, petralha, tucanalha, mortadela etc. Somos todos um único povo que busca e deseja melhorias. Separados em bandos, seremos sempre massa de manobra. Unidos, somos uma democracia forte e livre. A superação destas diferenças é provavelmente o processo mais difícil. As relações entre o povo, o governo, a policia e outras agencias e instituições sociais e governamentais, sempre foram marcadas pela fragilidade e a desconfiança. mas cabe a cada cidadão mudar essa realidade dentro de si. Não ha tempo a perder, o Brasil precisa crescer e se desenvolver.

 

 

 

 

BRAZILIAN POLITICS: A SHORT OVERVIEW

BY: Michaell Lange,

London, 01/09/16 –

Brazilian politics have come to a dramatic new low this week when the democratic elected President Dilma Rousseff, was impeached by the Senate for allegedly crime of responsibility. She was accused of manipulating figures to hide deficits on government budgets though, most of Brazilian Presidents, as well as state governors, have done the same in the past and were never prosecuted for any wrong doing. It’s a fact. Manipulate figures to hide holes in the budget is a common practice in all levels of Brazilian government and Dilma Rousseff was not an exception. But this is the least of the problems. Most of the Senators and federal deputies participating in this impeachment process have been accused of much more serious crimes.

National and international media, have also been reporting confusing and misleading views about what is really going on in Brazil. An Sky News correspondent reporting from Washington has said on TV that the Impeachment is part of a clean up on Brazilian politics when it is actually the opposite. A twit outlined it perfectly: “Imagine a country where the biggest anti-corruption operation in its history ended up with all the accused taking power?” That is a fact! Some Brazilian news papers the day after the impeachment said in the first page “A new chapter” and “Viva Democracy”. Similarities to the day after the military coup in 1964 was disturbing to say the least.

The whole political crises started with the reelection of Dilma Rousseff as Brazilian President in October 2014. She defeated Aécio Neves from the PSDB party which formed a coalition with other right wing parties to try to put an end on a 13 years of leftist government; first elected in 2003 with Luiz Inácio Lula da Silva from the Brazilian labour party, the PT. During the 8 years of Lula´s presidency, Brazil grew like never before. Social inclusion and other social programs have pulled over 30 million Brazilians from extreme poverty. By the end of his second mandate his approval rate were over 80%. His charm and charisma made Lula a global figure. For the next presidencial election he appointed a successful technocrat from his government, a friend, and also militant that has fought with the rebels during the military regime between 1964 and 1985. Dilma Rousseff, was arrested and tortured by the military regime. She survived 20 years of military dictatorship and guerrilla warfare that killed many of her friends. She is also a cancer survival. She was Minister of Mines and Energy and Chief of Staff in Lula´s government. But until 2011 she has never been elected. Dilma was an experienced technocrat, but she was not a politician. She haven’t even a fraction of Lula´s charisma, but she was the first woman to be elected president of the 7th biggest economy in the world. Lula was so powerful that it is said that if he had appointed a homeless he would probably be elected. While Lula became a global figure, Dilma decided to concentrate inwards. As Brazil was taken by a serious of corruption scandals involving mainly her own party, she gave freedom for the Federal Police and the supreme court to investigate and arrest anybody, close to her or not. Some of PTs senior members such as the ex-Minister José Dirceu and the national president of PT, José Genoíno were both found guilt of corruption and sent to prison. No such thing has ever happened in Brazil before! The scandals of corruption has weakened the labour party though. The slow down of Chinese economy also put an end on Brazils economic boom. Dilma Rousseff also started to show weaknesses in leadership. Despite her true patriotism and sensitivity regarding social issues, she was not competente enough or a leader as such, and that’s a fact. She was a horrible speaker and communicator. Comedians targeted her for her countless gaffes. Differently from her predecessor Lula, she was unable to work and make alliances with the opposition. The fact that she was a woman, also made it difficult to deal with an extreme conservative and sexist Brazilian right wing politicians. The right wing in Brazil are formed mainly by the evangelical bench, the military bench (also know as the bullet bench), and the ruralists. When they united against Dilma Rousseff her fate was set, and the country was going to pay the price for this political struggle.

The opposition, led by Aécio Neves from PSDB, thought that PT was finished and had no chance to win the next presidential election that was held in October 2014. In fact, if the opposition had a better candidate than the playboy Aécio Neves, they would almost certainly have won the election, but they messed up big time and lost the election by a small margin.

The Federal Police investigations were by then, starting to catch up with many of the opposition leaders and their political parties, including Aécio Neves. The so called OPERAÇÃO LAVA JATO or OPERATION CAR WASH, the same Federal Police operation that led to the arrest of José Dirceu and José Genoíno from PT for corruption, were now focused on a pile of evidence of corruption and money laundering involving most of the top members of the opposition parties. Most of the accusations were down to millions of pounds received by political parties and politicians under the carpet from big corporations in exchange of multibillionaire government contracts. Nevertheless, some of these politicians were involved in far serious crimes. Perhaps the most serious case became known as the “helicoca”. In 2013 an investigation carried out by the Brazilian Federal Police to combat narcotraffic led to the arrest of a helicopter with half a ton of pure cocaine in a farm in the State of Espirito Santo. The helicopter was found to belong to Zezé Perrella, a Senator and very close friend and political ally of Aécio Neves, the right wing candidate for president which is also known for his addictions to drugs and playboy life style. The media (mostly controlled by right wing politicians), gave very little coverage to the case and at the end, nobody was formally accused or prosecuted. The helicopter was returned to its owner, the pilot which was a Mr Perrella employee, were released without charge and the drug disappeared in thin air. Another case involving a supporter for the impeachment was the former Governor for the State of São Paulo and former Mayor of the city of São Paulo,  Paulo Maluff, also a close ally of Aécio Neves. He has been sentenced to 2 years in prison by the French justice for money laundering and countless accusations of corruption. Eduardo Cunha, the president of the Brazilian Chamber of Deputy and currently suspended for corruption and money laundering accusations, was also an articulator of the impeachment and voted to remove Dilma this week despite his conditions with the Law. The president of the national Senate, Renan Calheiros, has also been accused of corruption and money laundering and countless accusations of corruption. In total, over 60% of all Senators and Deputies who voted for the impeachment of Dilma Rousseff are either under the Federal Police investigation, or have already been found guilty of corruption and other crimes. Even Michel Temer, the successor of Dilma Rousseff has been under Federal Police investigation. The Brazilian Federal Police has strong evidence against all of the accused and the OPERATION CAR WASH was closing in on them very fast before the impeachment. But now with Dilma out, everything changed.

When Dilma Rousseff was suspended by the Senate Chamber earlier this year, her interim Michel Temer, now permanent successor, was quickly to create his own new cabinet which included 8 Ministers under investigation for corruption and money laundering. It is also composed entirely by white men. All of them, including the President, now enjoy parliamentary immunity against any previous accusations or investigation by OPERATION CAR WASH. It means that even if the Federal Police found them guilty of any crime, none of them will be prosecuted or arrested. Moreover, immediately after been sworn in as the new Brazilian President, Michel Temer started to work with his new cabinet to change Oil exploration rules introduced by Former president Lula, which gives the state Oil giant Petrobras, superior powers to control the Oil industry in the country. The new President is planing to give more freedom over the Oil exploration in Brazil to international firms and  to start plans to privatise Petrobras. The urgency in which he was dealing with this subject has raised some eyebrows. He also started almost immediately, to cut workers’ rights, giving more freedom to employers to fire employees. He is rolling back many of social polices and programmes introduced by Lula including the finance of athletes. Michel Temer also ended the Ministry of Culture.

The impeachment of Dilma Rousseff most certainly put an end to OPERATION CAR WASH. The top people being investigated by the Federal Police are now in Michel Temers cabinet and protected by Parliamentary immunity. The impeachment also dumped the democratic election of 2014. It actually, overturned the result. It turned democracy in its head as the people in power today are exactly the ones who lost the election back in 2014. Despite all the evidence, they still deny the coup d’état. If it’s not a coup, it’s hard to know what that would it be. As the people protested at Paulista Avenue against the impeachment, a woman was shot in the eye by a rubber bullet from the military police. She lost the left eye. A big protest set for this coming Sunday (4) was outlawed by Michel Temer who also ordered the army to “maintain security” on the streets. It seems it’s not just a coup, it’s increasingly more likely to be a declaration of war against Brazilian people.