O BRASIL DIVIDIDO E A TERCEIRA VIA DE PENSAMENTO

Por:Michaell Lange.

Londres, 20/03/16 –

Assisto aqui de fora, com olhos atentos e consternados, ao agravamento da crise política e social que tomou conta do Brasil nas últimas semanas. Até mesmo a classe jurídica do país resolveu entrar na briga, mas ao invés de clarificação, trouxeram mais dúvidas e confusão sobre o que é legal e ilegal nas ações da justiça e do governo nos últimos dias. Uma coisa porém, é certa. O povo continua sendo massa de manobra nas mãos da mídia. No último artigo desse blog, salientei a importância do processo em que estamos vivendo e também o fato dos Brasileiros estarem abrindo seus olhos a respeito dos poderes de influencia que a mídia exerce sobre as pessoas. Mas não se pode subestimar o poder dominador dos principais meios de comunicação no Brasil e no mundo. Apesar da população Brasileira estar dividida em duas claras esferas políticas, a direita e a esquerda, uma terceira via de pensamento vem ganhando força nas ruas e nas redes sociais. Me refiro a um grupo cada vez maior de pessoas que não apoiam partidos e suas personalidades. Querem apenas que todos os culpados sejam investigados e julgados pelos possíveis crimes que cometeram. Eles também não esqueceram da importância de se promover uma profunda reforma política a nível nacional. Essa minoria, que ataca políticos de todos os lados, me parecem ser os mais lúcidos nesse mar de lama e confusão que vivemos nesse momento. Essa terceira via de pensamento, também me parece ser uma possível saída, ou o caminho da liberdade que poderá ajudar o Brasil a se recuperar dessa crise com mais inteligência e desenvoltura.

Infelizmente, os outros dois grupos formados por apoiadores de partidos políticos de esquerda e de direita, continuam representando a grande maioria dos Brasileiros nas ruas. Renunciar o partido que apoiamos  para apoiar uma terceira via de pensamento é um exercício extremamente difícil. É quase tão difícil quanto um torcedor de um time de futebol deixar de torcer pelo seu time do coração e passar a torcer por outro time. Nosso sentimento de apego é muito grande. Nos sentimos em casa, confortáveis, bem representados e seguros. Mas diferentemente do futebol, deixar de apoiar um partido de esquerda não nos faz necessariamente um defensor de um partido de direita e vice-versa. A terceira via de pensamento não muda seu modo de pensamento central ou seja, você não deixa de ser um seguidor das idéias da esquerda assim como você não deixa de apoiar as idéias da direita. O que muda é a sua visão de políticos que cometem crimes, sejam eles de que lado forem. Ser de esquerda não faz de você um PTista, assim como ser de direita não faz de você um PSDBista. É possível ser de direita ou de esquerda sem apoiar ou fazer parte de qualquer partido político. Na verdade, essa seria a posição ideal de uma pessoa com princípios democráticos. Essa posição política, tira dos líderes partidaristas o título de celebridades, algo que um partidarista normalmente carrega no sangue e é capaz de colocar até mesmo os interesses do seu próprio país e do seu povo em segundo plano. Particularmente, acredito que o única forma do povo Brasileiro vencer essa batalha, seria por meio da unificação dos esquerdistas e direitistas em prol de um bem comum, o Brasil. Para isso acontecer, um direitista teria que ser capaz de aceitar e trabalhar junto com um esquerdista e vice-versa. Muitas pessoas acharão que esse pensamento é algo utópico, mas não é. O que poderia ser um pensamento utópico seria esperar que um PTista fosse capaz de gostar de um PSDBista e vice-versa. A diferença é que o partidarismo é uma forma de fanatismo. Funciona como uma torcida organizada de um time de futebol onde todos os membros se comprometem a defenderem os interesses dos seus partidos (ou time de futebol), a qualquer custo. Os interesses do Brasil nesse caso, ficam em segundo plano. Mas um esquerdista e um direitista não partidaristas, não tem esse comprometimento que os prenderia aos interesses de um partido político. O mais importante para estas pessoas são as idéias ou seja, os esquerdistas defendem entre outras coisas, maiores direitos aos trabalhadores. Ja os direitistas, defendem entre outras coisas, menor interferência do governo em questões econômicas. O que os dois lados tem em comum são os interesses do Brasil como principal objetivo. Os dois querem ver o Brasil prosperar socialmente e economicamente. Mas quando alguém defende um partido político que representa suas idéias, fica praticamente impossível a cooperação de duas partes contrárias. Quando vejo Brasileiros brigando na rua, tenho a certeza de que a luta não é pelo Brasil, mas sim pela defesa do seu partido político. Brasileiro que defende o Brasil não entra em luta corporal com outros Brasileiros. Não importa a gravidade da provocação. Por isso, a crise política no Brasil hoje, não é pelo bem estar dos Brasileiros. O que vemos, é uma luta de partidos políticos pelo poder. Nem a democracia, nem os Brasileiros fazem parte dos interesses desta guerra. As únicas pessoas que não fazem parte desse grupo são as pessoas da terceira via de pensamento. Estas, são aquelas pessoas que nas manifestações, foram vistas protestando contra a presença de políticos, e também foram vistas tentando acalmar as confusões entre PTistas e PSDBistas. Foram estas pessoas que tinham em seus corações, os interesses do Brasil e não os interesses de partidos políticos. Estas pessoas sabem que estas brigas nas ruas não são de interesse do Brasil. Servem apenas aos interesses partidários e da mídia que vende mais jornal e notícias.

O Brasil que vejo daqui, é um Brasil manipulado, partidarista e vítima de manobras da mídia. A maior evidência disso é o foco do Brasileiro em derrubar o atual governo. Nesse processo, esquecemos por exemplo: do escândalo do veto da auditoria pública que o Brasileiro nem deu muita importância, mas como resultado, poderia ter triplicado os investimentos em educação, saúde e segurança. Esquecemos que o Congresso Nacional aprovou a doação de dinheiro de empresas para campanhas eleitorais, que é a legalização da lavagem de dinheiro público e centro dos atuais escândalos das empreiteiras e da Petrobras. Esquecemos da catástrofe em Mariana. Esquecemos dos 80 milhões de Reais que a Samarco doou para os principais partidos políticos do Brasil nas últimas eleições que beneficiaram o PT, PSDB e o PMDB principalmente. Esquecemos do escândalo do HSBC. Esquecemos do Massacre dos professores no Paraná. Dos estudantes em São Paulo. Da máfia da merenda em São Paulo. Das desocupações violentas e ilegais no Rio de Janeiro. Esquecemos das contas secretas na Suíça. Esquecemos das importantes reformas políticas que precisamos fazer para tornar o Brasil mais viável, transparente e democrático. Esquecemos do uso abusivo dos aviões oficiais para levar políticos para casa, com custos de até 180 mil reais por vôo. Esquecemos da tragédia do Zika vírus.  Esquecemos que a derrubada do governo, de forma legal ou ilegal, não mudará o atual sistema políticos que domina o Brasil e favorece todos os grandes partidos políticos que atuam no país hoje.

Nenhuma das grandes manifestações no Brasil dos últimos dias abordou os graves problemas e escândalos citados acima. Não havia faixas ou gritos de guerra para protestar contra os verdadeiros interesses que dizem respeito ao povo Brasileiro e anulam qualquer chance de desenvolvimento sócio/econômico do país. O que vimos, foram duas manifestações, uma contra, e outra a favor do governo federal. Temos todo o direito de protestar e reivindicar nossos direitos nas ruas, mas acredito que estamos mais uma vez, sendo vítimas do poder manipulador da mídia que consegue de forma espetacular, desviar nossa atenção para longe dos verdadeiros interesses do povo Brasileiro. Acabamos sendo de fato, massa de manobra para defender interesses de terceiros. Acredito que estamos sendo manipulados hoje, da mesma forma como a minha geração foi enganada no inicio dos anos 90, quando fomos as ruas para derrubar o primeiro governo eleito com voto direto. Lutamos em favor de interesses que na verdade, não eram coletivos e favoreciam apenas uma pequena parcela da sociedade Brasileira. Desta vez, mesmo com as vantagens das redes sociais e uma abertura na forma de pensar do Brasileiro, continuamos a ser vítimas de forças que não tem os interesses do Brasil como meta principal. É extremamente importante para nós Brasileiros, abrirmos nossos olhos e pensarmos com consciência e fora da “caixa”. A reflexão imparcial neste momento, pode nos salvar de mais uma página triste na história do Brasil. Ainda é possível darmos a volta e vencermos esta batalha pelo Brasil. Talvez, a terceira via de pensamento tenha a solução necessária para esta virada. Resta a nós, Brasileiros, resolvermos dar início ao exercício de pensar livremente pelo bem de todos os Brasileiros e não apenas pelo bem de quem esta do mesmo lado da rua. Devemos lembrar sempre que, o Brasil não é um partido político, o Brasil é a nossa casa. Seus moradores precisam defende-la com união, contra qualquer proposta que não tenha os interesses da nossa casa como objetivo principal. O bem estar dos Brasileiros tem que estar sempre acima de qualquer interesse partidário.

 

One thought on “O BRASIL DIVIDIDO E A TERCEIRA VIA DE PENSAMENTO

  1. Utopia mesmo, esperar alguma coisa do povo. Hoje a noite irao assistir o Fautao e Fantastico e assim continuarem a serem manipulados.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s