Mick Fanning Sobrevive a Ataque de Tubarão: Milagre De Deus? Proteção Divina ou Sorte?

By: Michaell Lange,

London, 20/07/15

O ataque de tubarão sofrido pelo tricampeão mundial, o Australiano Mick Fanning, que milagrosamente escapou ileso do incidente deste Domingo (19) na Africa do Sul, levantou inúmeras questões sobre a segurança dos atletas e os locais onde os campeonatos do circuito mundial são disputados. Mas, pouco se falou sobre uma outra questão polêmica envolvendo o episódio. Mick Funning sobreviveu por milagre, proteção divina ou foi apenas um caso de muita sorte?

O assunto desse artigo é totalmente especulativo e por isso, não deve ser visto como uma defesa ou ataque aos costumes religiosos. É importante frisar que minha posição religiosa não interfere na forma como escrevo sobre o assunto, mas como acredito em possibilidades, me sinto na obrigação moral de reconhecer as crenças religiosas e todas as suas possibilidades, principalmente nas questões pelas quais nem a ciência ainda foi capaz de explicar de forma concreta. Diante desta posição, pergunto se os atletas Brasileiros que fazem parte da WSL – World Surf League – foram protegidos do perigo eminente por sua conhecida e explicita devoção a Deus e a religiosidade? Até que ponto a devoção e a crença aos milagres de Deus pode ter ajudado nossos atletas a ficarem longe do perigo?

Quem acredita em Deus e é seguidor da Bíblia ou de outros livros sagrados, tem total convicção de que Deus pode interferir diretamente em acontecimentos na vida dos humanos. Quem duvida, costuma usar como argumento por exemplo, todo o sofrimento vivido por crianças ao redor do mundo, a questão da fome, das guerras, além de outras tragédias que atingem pessoas e povos religiosos e não religiosos.

A questão e a verdade que envolve o ataque de tubarão na Africa do Sul é que três Brasileiros considerados alguns dos melhores surfista do mundo incluindo o atual campeão mundial Gabriel Medina, o atual líder da Liga Mundial de Surf, Adriano de Souza, e Alejo Muniz que era cotado para ser um dos finalistas desta etapa, perderam nas quartas de final em circunstancias no mínimo estranhas. Os três surfistas Brasileiros vinham fazendo uma campanha arrasadora durante todo o evento até chegarem nas quartas de final onde sem explicação aparente, os três surfistas não apresentaram um surf nem parecido com o que estamos acostumados a ver. Teria sido um aviso da presença de um grande perigo?

Adriano de Souza foi o primeiro a perder depois de deixar o Australiano Julian Wilson pegar uma das melhores ondas da sua bateria mesmo tendo a prioridade, que lhe da o direito de escolher a próxima onda. Julian Wilson agradeceu o presente deixado por Adriano e fez uma nota 8.03, que eventualmente tirou Adriano de Souza da disputa pelo titulo da etapa. Adriano ainda cometeu outros erros que quem segue o esporte, sabe que ele não cometeria facilmente, principalmente num dia de ondas perfeitas. No final da bateria Adriano aparece falando sozinho como se estivesse buscando uma explicação sobre o que acabara de acontecer. Julian Wilson foi para a Final e estava ao lado de Mick Fanning no momento do ataque. Gabriel Medina, que vinha surfando muito bem durante todo o evento e disputava a bateria de numero 3 das quartas de final contra o Americano Kelly Slater, também não se encontrou no mar. Mesmo surfando duas ondas excelentes, cometeu erros na escolha das ondas e em manobras que o atual campeão mundial não esta acostumado a cometer. Medina havia vencido Kelly Slater e Mick Fanning na quarta fase do evento e vinha mantendo o excelente nivel de surf até perder nas quartas de final para Kelly. Já Alejo Muniz simplesmente não era o mesmo surfista que vinha arrasando seus adversários desde o inicio do campeonato incluindo o segundo colocado da Liga Mundial, Filipe Toledo, com uma combinação de duas ondas excelentes que valeram 8,03 e 9,80. Contra Mick Fanning que seria a vitima do ataque do tubarão na final, Alejo surfou apenas quatro ondas, sendo que as duas melhores valeram medíocres 3,33 e um 5,67. Algo estava muito errado com os surfistas que até aquele momento estavam derrotando todos os seus adversários com um verdadeiro show de surf. O que teria acontecido para que eles não conseguissem mais desempenhar o mesmo nível de surf que haviam mostrado até aquele momento? Sera que houve a intervenção de uma força maior que manteve os Brasileiros longe do perigo?

Os três Brasileiros fazem parte da melhor geração de surfistas profissionais da história do surf Brasileiro e são também explícitos na sua fé por Deus. Sempre são vistos orando antes e depois das baterias que disputam, além de sempre citarem Deus nos seus comentários nos pódios, quando vencem os campeonatos, como sendo o grande líder que comanda suas vidas. A fé em Deus e a religiosidade expressa por eles sempre me chamaram atenção e por vezes achei exagerada. Algumas vezes considerei chata, tamanha atenção que eles dão as questões que envolve sua crença por Deus. Mas hoje, depois de ver e rever o video do ataque quase uma centena de vezes, me questionei se a fé em Deus não foi um fator importante na hora de mante-los fora do perigo eminente. Era quase certo para mim e para muitas pessoas que vinham acompanhando o evento desde o inicio, que pelo menos um Brasileiro estaria na final. Outras pessoas, incluindo eu e alguns amigos, acreditávamos que pelo nível de surf que nossos atletas vinham apresentando, era possível que tivéssemos uma final 100% Brasileira. Porém, assistimos todos eles serem derrotados de forma no mínimo estranha ainda nas quartas de final. Sera que a derrota deles pode ter sido causado por uma força superior como forma de mante-los fora do perigo?

O Australiano Mick Fanning por outro lado, não demonstra ser uma pessoa de muita fé mas, ele mesmo confessou que havia alguém olhando por ele naquele momento. O Mick pode ser classificado como uma pessoa espiritualista, simples, familiar além de ser visto por toda comunidade do surf como uma pessoa muito boa, e que ajuda muita gente. Kelly Slater escreveu em sua pagina na internet após o ataque que; “pessoas boas atraem coisas boas, e mesmo que não possamos dizer que um ataque de tubarão seja algo bom, a forma ilesa como Mick saiu daquela situação foi algo incrivelmente maravilhoso”.

Sempre que falamos sobre religião e milagres de Deus é comum que a conversa termine com mais perguntas do que respostas. Nesse caso especifico não poderia ser diferente. Mas minha crença pessoal nas possibilidades da vida que vão muito além da capacidade limitada de um simples mortal, me levam a questionar se lá no fundo de nossas almas não ha mesmo um ser capaz de nos proteger do perigo, desde que saibamos como, e onde pedir seu socorro. Algo como o número de emergência que se não ligarmos, eles nunca saberão que precisamos de ajuda. Ao que me parece, se Deus realmente existe, ele certamente estava presente na agua no momento daquele ataque.

video do ataque que quase tirou a vida de Mick Fanning:

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s