Sobre a Execução do Brasileiro Condenado a Morte na Indonésia

Por: Michaell Lange

Londres, 17/01/15

O Brasileiro #MarcoArcher condenado a morte por trafico de drogas na Indonésia foi executado hoje pelas autoridades daquele país. Pessoalmente sou totalmente contra a pena de morte por ser uma pratica desumana e principalmente ineficaz. O Brasileiro não foi o primeiro a ser fuzilado por trafico de drogas na Indonésia e nem sera o ultimo ou seja, a pena capital não impede e continua a não impedir que outros traficantes continuem a tentar entrar no país com drogas. O sistema de justiça daquele pais também não é melhor que o nosso e isso me leva a acreditar que muitos condenados são, possivelmente inocentes. Nos EUA onde o sistema de justiça é um pouquinho melhor (eu disse um pouquinho) que o da Indonésia, há relatos de várias condenações a morte cujo o condenado era na verdade inocente, imagine num país de cultura corrupta e militar como a da Indonésia. Não quero aqui defender o Brasileiro ou mesmo condena-lo, o que quero dizer é que não sei se ele era ou não culpado pelo crime em que foi condenado. Não confio em nenhum sistema de justiça, muito menos o de países com histórico de conseguir atestados de confissão por tortura.

Por outro lado, não consigo entender toda essa reação de algumas pessoas e da própria mídia em fazer desse caso algo tão abominável se ao mesmo tempo temos uma corporação militar chamada PM que fuzila milhares de inocentes Brasileiros todos os anos sem que a mídia ou o governo tenha a mesma reação. São eles jovens, adolescentes, adultos e mulheres executados sem direito a defesa, sem direito a julgamento, sem direito a advogados. Não. não estou falando daqueles que recebem a policia a bala na entrada das favelas. Estou falando das chacinas cometidas por PMs, pelos homicídios de crianças de rua que desaparecem nos bancos de trás das viaturas da policia. Sim, ha também bons policiais executados por bandidos de forma brutal, mas é difícil saber quem é quem numa corporação tão corrompida como a PM.

O próprio governo executa milhares de Brasileiros inocentes nas emergências dos hospitais, nas filas para exames de diagnósticos, nas filas para cirurgias, nas filas para o tratamentos de doenças como o cancer, por falta de ambulâncias, por falta de hospitais. Matamos Brasileiros inocentes pela corrupção da saúde, pelo roubo de medicamentos dos hospitais do SUS por médicos Brasileiros que comandam máfia do cartão de ponto, máfia das próteses, máfia de consultas e exames falsos e máfia de todos os tipos promovidas por médicos e enfermeiros formados em Universidades federais, pagas integralmente com verbas públicas (bolsa universidade?) ou seja, com o dinheiro daqueles que os médicos tinham o dever civil e a obrigação moral de tratar bem.

Matamos inocentes Brasileiros todos os dias sem direito a defesa quando dirigimos embriagados, quando ultrapassamos em local proibido, quando não usamos o sinto de segurança e capacete, quando furamos o sinal vermelho, quando dirigimos em alta velocidade.

Condenamos a morte milhares de crianças Brasileiras inocentes quando o governo corta 7 bilhões da educação que serão traduzidos em falta de escolas, pela falta de segurança, falta de oportunidades e acesso a atividades de lazer e esportes, e pela falta de uma família que dê amor e carinho, porque serão estes mesmos jovens que cairão nas mãos de criminosos e por conseqüência cometerão crimes e receberão a policia a bala na entrada das favelas. Onde esta a reação do governo, da mídia e da sociedade nestes holocaustos diários promovidos por nós mesmos contra nós mesmos?

Na questão do Brasileiro executado hoje na Indonésia o governo Brasileiro deu mais uma próva de sua incompetência. Não apenas na sua incapacidade de lidar com assuntos internacionais onde nem o apelo da Presidente da Republica foi capaz de fazer a justiça da Indonésia rever o caso ou ao menos, adiar o processo de execução. Mas incompetente também na forma como passou a dar mais importância depois que a mídia resolveu falar sobre o assunto uma semana antes da execução da pena. Afinal de contas esse caso segue desde 2004 ou seja, 10 anos onde os trabalhos de diplomacia do Brasil poderiam ter acompanhado o caso e entrado com apelos e recursos legais caso o julgamento não tenha ocorrido de forma justa ou correta. É um tanto óbvio e historicamente comprovado que qualquer governo, quando há vontade política, é capaz de interceder de forma positiva em casos como esse, sem interferir no sistema de justiça local. Se Marco Archer era culpado ou não o fato é que o governo Brasileiro teve tempo e instrumentos legais para garantir que a pena de morte fosse transformada em prisão perpétua por exemplo, mas os apelos vieram tarde demais.

Uma das lições nessa história é a constatação de que ainda somos um povo totalmente manipulados pela história contada sem que façamos os devidos questionamentos a seu respeito. Tudo que sabemos continua a ser tudo aquilo que nos contam, e se tudo aquilo que nos contam for mentira então, tudo que sabemos são inverdades. Um Brasileiro foi executado na Indonésia por trafico de drogas. Mas quantos Brasileiros inocentes são executados todos os dias sem que as nossas emoções sejam postas a prova da mesma forma? De uma forma ou de outra o Brasil é como a Indonésia, tem um sistema de justiça não confiavel, uma policia e um governo corrupto e um povo que vê mas não enxerga nada. Somos os míopes do terceiro mundo em pleno século 21 …

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s